BRANQUEAMENTO DE ÓLEO DE ARROZ A PARTIR DE MATERIAIS ADSORVENTES PRODUZIDOS DO RESÍDUOS DA CASCA DA ACÁCIA NEGRA (Acacia mearnsii De Wild)

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Sustentabilidade ambiental

Acessos neste artigo: 7


Certificado de Publicação:
Não disponível
Certificado de Participação:
Não disponível
AUTORIA

Nicole Dall'accua Lopes , André Ricardo Felkl De Almeida , Natallia Britto Azevedo Souza , Rogério Da Silva Camargo , Valéria Terra Crexi

ABSTRACT
Este trabalho teve como objetivo a produção de adsorventes a partir do resíduo da casca da acácia-negra moída e seca, tratada quimicamente com solução de H3PO4 40% m/m e modificada para carvão ativado através da pirólise do material percursor a 500ºC em atmosfera inerte de nitrogênio, os quais foram aplicados no processo de branqueamento do óleo de arroz neutralizado. As caracterizações dos adsorventes por TGA e DRX demonstraram que tanto o H3PO4 quanto a pirólise causaram a degradação da hemicelulose e celulose da casca de acácia, ocasionando uma estrutura mais amorfa. O tratamento químico também reduziu o diâmetro da partícula em aproximadamente 80 µm. Nos ensaios de branqueamento notou-se que todos os adsorventes produzidos apresentaram índices de redução para o percentual de peróxidos, carotenoides, ?-orizanol e cor. De todos os materiais produzidos, o carvão ativado foi o que apresentou os melhores índices de redução para os carotenoides e y-orizanol, ultrapassando a faixa de 50%. A exceção foi para o índice de peróxidos, em que a maior redução, com valor de 31,83%, ocorreu com o material impregnado. Todavia, em razão do agente ativante utilizado ser um ácido, o índice de acidez sofreu um aumento de, em média, 5 % para o adsorvente impregnado e 10 % para o carvão ativado produzido. Em termos gerais, os resultados demonstraram-se satisfatórios apresentando um bom potencial adsortivo para os materiais produzidos.

Para participar do debate desse artigo, .


Comentários