Classificação de sementes por tamanho na emergência, qualidade da muda e produção de palmito de palmeira-real-australiana

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Agricultura

Acessos neste artigo: 4


Certificado de Publicação:
Não disponível
Certificado de Participação:
Não disponível
AUTORIA

Alessandro Borini Lone

ABSTRACT
Em Santa Catarina a palmeira-real-australiana vêm sendo cultivada em quase todos os municípios do Litoral e Médio Vale do Itajaí para extração do palmito. A produção de mudas ocorre através da germinação de sementes as quais podem demorar meses para germinar, gerando plântulas e mudas desuniformes e podendo interferir na produção do palmito. O objetivo do trabalho foi avaliar a influência da classificação das sementes por tamanho na emergência de plântulas, formação de mudas e produção de palmito de palmeira-real-australiana (Archontophoenix alexandrae). As sementes foram classificadas em três classes de tamanho: Pequenas (menores ou iguais a 0,88 cm); Médias (0,89 a 1,11 cm); Grandes (maiores ou iguais a 1,12 cm) tendo-se uma classe sem classificação (Mix). Durante dois meses foram avaliadas as emergências (%) e os índices de velocidade de emergência (IVE). Após esse período, as plântulas foram repicadas para tubetes e mantidas em casa de vegetação. Após nove meses parte das plantas foram avaliadas para altura, diâmetro do colo, número de folhas, número de raízes, volume radicular e massas secas de raízes, folhas e caules. Outra parte foi plantada à campo e após três anos realizou-se as avaliações para altura, diâmetro, e com o corte, avaliou-se a produção de palmito total e fracionado em picado, tolete e banda. Não houve diferença estatística para a porcentagem de emergência e IVE entre as diferentes classes de tamanho. Entretanto, para as plantas provindas de sementes grandes, obteve-se as maiores médias de massa seca de folhas (2,54g) e caule (1,96g). Observou-se maior produção de palmito da partição picado de plantas provindas de sementes grandes, tanto na média por planta como para a produção por área (108,97g e 1,82 ton/ha, respectivamente). Conclui-se que a classificação das sementes por tamanho influencia a qualidade da muda produzida, com as sementes grandes (maiores ou iguais a 1,12 cm) apresentando superioridade em relação à massa seca de folhas e caules, com maior produção de palmito picado, sem influenciar a produção total.

Para participar do debate desse artigo, .


Comentários
Foto do Usuário Geraldo Acácio Mabasso 15-04-2021 21:35:33

O trabalho está bem escrito, parabéns ao autor. Se for possível indicar o critério de definição da classificação das sementes seria bom, igualmente comentário ou discussão sobre os valores de emergência, porquê são baixos?