EFICIÊNCIA DO AMÔNIO-GLUFOSINATO COM DIFERENTES ADJUVANTES E VOLUMES DE APLICAÇÃO NA DESSECAÇÃO DA Brachiaria ruziziensis

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Agricultura

Acessos neste artigo: 9


Certificado de Publicação:
Não disponível
Certificado de Participação:
Não disponível

COMPARTILHE SEU TRABALHO

AUTORIA

Hiago Canavessi

ABSTRACT
Objetivou-se com este trabalho avaliar a eficiência de doses do amônio-glufosinato com diferentes adjuvantes e volumes de aplicação no manejo de dessecação da forrageira Brachiaria ruziziensis Germain & Evrard. O delineamento utilizado foi em blocos casualizados com quatro repetições. Os tratamentos estão dispostos em esquema fatorial 2x2x4+2; sendo duas doses de amônio-glufosinato (Finale 200 g L-1): 2,5 e 5,0 L ha-1; dois adjuvantes: Agral e Silwet L-77 (0,2 e 0,4 % v v-1) respectivamente e quatro volumes de aplicação (100, 200, 300 e 400 L ha-1). Além de duas testemunha, sendo uma sem aplicação do herbicida e outra testemunha comercial Finale (2,5 L ha-1) + Aureo (0,25 %v.v-1) em 200 L ha-1. A aplicação dos tratamentos foi realizada no pleno desenvolvimento da braquiária, antes do florescimento. No preparo da calda foi adicionado corante Azul Brilhante (FD-1), diluído em razão de 500 mg L-1, em água destilada para realizar a avaliação de deposição de calda. Equipamento utilizando foi um pulverizador costal pressurizado com CO2, com pressão constante de 207 kPa. Após a aplicação foram coletadas 5 perfilhos por parcela, que foram lavadas com 100 ml de água destilada. A determinação do conteúdo depositado foi realizado com a leitura de absorbância no comprimento de onda de 630nm, e os dados transformados em depósitos por grama de matéria seca foram ajustados às curvas de regressão, por meio do modelo de Gompertz. As variáveis avaliadas foram constituídas de porcentagem de dessecação, o acúmulo de biomassa da forrageira e a dinâmica das plantas daninhas após a dessecação e a avaliação de deposição de calda. Todos os tratamentos apresentaram altos valores de controle da B. ruziziensis aos 21 Dias Após a Aplicação. Ao se utilizar as doses de 2,5 e 5 L ha -1 há diferença em relação a testemunha comercial, sendo que AG + Agral (5 L ha-1 + 0,4%v v-1) com volume de aplicação de 100 L ha -1, obteve resultados aproximados à da testemunha comercial. Os tratamentos com dose 2,5 L ha-1 + Silwet apresentaram queda de deposição de calda após 300 L ha-1 e os demais tratamentos mostram maior deposição de calda a medida que aumentava o volume. Para dose de 5 L ha-1 + Silwet que apresentou menor incidência de plantas daninhas por m2.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS
Foto do Usuário Ana Karoline Silva Sanches 16-04-2021 21:31:41

O trabalho está bem escrito, com um tema bastante atual e relevante para a agricultara brasileira. Contudo, no material e métodos tem uma pequeno erro ortográfico com ausência da elevação ao quadrado. Em resultado e discursão senti falta a percentagem de controle do trabalho atual.

Foto do Usuário Moniki Campos Janegitz 10-05-2021 20:02:15

Um trabalho interessante, mas em algum momento visou testar menores volumes de calda? Tem fazendas com alta tecnologia de aplicação usando 35 l ha .

Um ótimo trabalho conduzido. Pode usar amônio-glufosinato em outras culturas forrageiras?