Avaliação de hábitos alimentares de estudantes universitários da Universidade Eduardo na Cidade de Maputo

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Tecnologia de Alimentos

Acessos neste artigo: 8


Certificado de Publicação:
Não disponível
Certificado de Participação:
Não disponível

COMPARTILHE SEU TRABALHO

AUTORIA

Armando Mateus Moiana

ABSTRACT
A alimentação assume um papel crucial na vida do Homem e a forma de consumo alimentar depende de vários aspectos que influenciam os hábitos alimentares. Os hábitos alimentares são formados desde o nascimento, podendo sofrer alterações dependendo do local onde o indivíduo se encontra inserido. A pesquisa teve o objectivo de avaliar os hábitos alimentares de estudantes universitários da FAVET-UEM e foi do tipo transversal, descritiva e quantitativa, e usou-se amostragem por conveniência. Aplicou-se um questionário online adaptado e inspirou-se na guia alimentar para a população brasileira proposto pelo MS do Brasil. Os resultados do perfil socioeconómico e influências nas preferências alimentares foram analisados de forma comparativa com estudos similares realizados e através da informação contida na literatura. Os resultados do conhecimento da alimentação saudável e do consumo alimentar foram comparados e classificados de acordo com a guia alimentar para a população brasileira proposto pelo MS do Brasil e foi usada estatística descritiva simples. Participaram no estudo 48 estudantes de cursos de licenciatura. Houve maior participação de estudantes do sexo masculino (54%). Dos estudantes participantes no estudo, 96% são solteiros, 33% são bolsista e 56% têm uma renda familiar abaixo do salário mínimo. Os resultados mostram que 69% dos estudantes têm conhecimento da alimentação saudável. No consumo alimentar, constatou-se que muitos estudantes somente tomam o almoço (79%) e o jantar (75%). Verificou-se que somente 6% de estudantes possuem alimentação adequada, realizando 5 refeições diárias e muitos deles consomem alimentos que fazem parte de grupo de cereais, tubérculos e raízes (87%), legumes e verduras, frutas (67), feijão e outras leguminosas (90%), leite e derivados, carnes e ovos (72%) e óleos (67%) em porções inadequadas. A ingestão de água foi abaixo do recomendado para a maioria dos estudantes (73%). Houve inadequação no consumo de alimentos com alta densidade energética tais como, doces, refrigerantes e sucos industrializados, fritos, salgados. A maioria de estudantes (96%) têm hábito de realizar actividades extras no acto da tomada de refeições e não tem hábito de ler a informação nutricional presente no rótulo de alimentos industrializados antes de comprá-los (71%) e não pratica actividade física adequadamente (92%). Entretanto, os resultados foram adequados quanto à avaliação do parâmetro de adição do sal, após terem servido a refeição na mesa (52%) e no consumo semanal de bebidas alcoólicas (60%). Todos os estudantes (100%) consideram aspectos socioeconómicos, qualidade higiénico-sanitária, cultura e religião como sendo factores determinantes nas suas escolhas alimentares e na sua maioria com a entrada na universidade houve mudança na alimentação pois que passou a tomar refeições na cantina ou refeitório da universidade e acompanhados. Contudo, após a conclusão de curso gostaria de melhorar a sua alimentação, todavia, com o aumento da renda familiar.

Palavras-chave: Hábitos alimentares, Alimentação de universitários, Alimentação saudável, Consumo alimentar e Influências alimentares.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS
Foto do Usuário Daniel Gustavo De Souza Medeiros 19-04-2021 18:43:29

Dentro do ambiente acadêmico, este trabalho é muito relevante! Excelente trabalho!

Foto do Usuário Augusto Mário Miquitaio 10-05-2021 11:41:15

A avaliação dos hábitos alimentares de estudantes universitários da FAVET-UEM, será pertinente uma vez iremos entender sobre os alimentos que eles consomem com frequência trazendo nos a realidade sobre (bons e maus hábitos alimentares) dos mesmos.