EDUCAÇÃO EM SAÚDE: EXPERIÊNCIA NA CONFECÇÃO DE UMA CARTILHA PARA PREVENÇÃO DE LESÃO POR PRESSÃO

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Educação, formação e treinamento em saúde

Acessos neste artigo: 2


Certificado de publicação:
Certificado de Rafaela Cristina Moreira

AUTORIA

Rafaela Cristina Moreira , Rayssa Nogueira Rodrigues , Isabelle Aparecida De Sousa Bernardes , Maini Aparecida De Freitas Gomes , Marla Ariana Silva

ABSTRACT
Introdução: A prevenc?a?o da lesão por pressão (LPP) é considerada meta de seguranc?a do paciente e responsabilidade da equipe profissional em todos os pontos de atenc?a?o a sau?de (CALIRI; BERNARDES, 2017). A prevenção da lesão envolve uma forte liderança do profissional, pois além dos aspectos cli?nicos, há o componente educacional e gerencial. Dentre esses profissionais, destaca-se o enfermeiro, que sempre esteve inserido como principal cuidador de lesões de pele e de sua prevenção desde seu surgimento como profissão. Como integrante da Atenção Primária à Saúde (APS), esse profissional tem papel fundamental na assistência com as melhores pra?ticas, propiciando a?s pessoas e seus familiares o protagonismo no processo do cuidado. No entanto, para evitar a lesa?o, ale?m de medidas pro?prias do paciente e da família, o enfermeiro necessita realizar uma avaliac?a?o sistema?tica dos fatores envolvidos, promovendo um plano de cuidado e consequentemente a redução de agravos (SOARES; HEIDEMANN, 2018). Considerando que a abordagem da prevenção e manejo de feridas é uma responsabilidade primária do enfermeiro dentro da equipe multiprofissional, é necessário criar estratégias para que possam atender o bem-estar e a dimensão biopsicossocial do indivíduo, possibilitando a humanização e valorização do sujeito (NEVES et al., 2018). Diante do exposto, discentes e docentes do curso de enfermagem, da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG), realizou-se um projeto de pesquisa intitulado “Material Educativo sobre a Prevenção de Lesão por Pressão no Contexto da Atenção Primária à Saúde”. Foco-se na necessidade da criação um material instrucional voltado para atuação da enfermagem, com intuito de ampliar a compreensa?o do cuidado associado a?s boas pra?ticas de sau?de. Sendo assim, este estudo teve como objetivo relatar a experiência de discentes e docentes sobre a construção de um material instrucional voltado para atuação de enfermagem para prevenção de LPP. Métodos: Trata-se de um relato de experiência. A pesquisa em questão ocorreu no período de junho a dezembro de 2019 e foi dividida em duas etapas. Primeiramente, foi realizada uma revisão sistemática da literatura que teve como bases de dados a Literatura Latino-Americana e do Caribe em Cie?ncias da Sau?de (LILACS), Scientific Electronic Library Online (SciELO) e Medical Literature Analysis and Retrieval System Online (MEDLINE). A pesquisa respeitou a recomendac?a?o Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta- Analyses (PRISMA) (MOHER; LIBERATI; TETZLAFF; ALTMAN, 2009). A partir dos artigos elegi?veis, uma ana?lise cri?tica foi realizada pelos pesquisadores a fim de extrair informac?o?es para a construc?a?o do material instrucional destinado a equipe de enfermagem. Para garantir a consiste?ncia do conteu?do, consultas a?s publicac?o?es da National Pressure Ulcer Advisory Panel (NPUAP) foram realizadas, uma vez que este constitui um grupo que dispo?e de autoridade para emitir recomendac?o?es para o desenvolvimento de poli?ticas pu?blicas, educac?a?o e pesquisa visando a? melhoria dos resultados na prevenc?a?o e tratamento das leso?es por pressa?o. No segundo momento, ocorreu-se a construção da cartilha. Para o processo de edic?a?o e diagramac?a?o, obteve-se apoio do setor de Assessoria de Comunicação da UEMG/Divinópolis. Após a confecção, a anuência da Secretaria Municipal de Saúde de Divinópolis/MG do município foi requerida para a disponibilização do material a equipe de enfermagem inserida na Atenção Primária à Saúde. Resultados e Discussão: A produção do material instrucional intitulado “Cartilha Lesão por Pressão (LPP)”, resultou em 16 (dezesseis) páginas, que abordou os seguintes temas: o que é LPP, populações mais atingidas, estágios, locais mais comuns de ocorrência, Escala de Braden, fatores de risco, prevenção e orientações. Sabe-se que a prevalência de LPP tem aumentado devido a mudança do perfil demográfico. Em especial, a população compreendida entre 65 anos ou mais, é a mais propensa a desenvolver a LPP (OLIVEIRA; HAACK; FORTES, 2017). Nesta faixa etária, a espessura da epiderme é reduzida, modificam-se as fibras colágenas, elásticas e reticulares entre outras alterações (DOMANSKY; BORGES, 2014). Ainda, os pacientes acamados com sequelas de doenc?as cro?nicas degenerativas, terminais e po?s-ciru?rgicas, também estão em maior risco para o desenvolvimento de lesões por pressão (MORAES; ARAU?JO; CAETANO, et al., 2012). Didaticamente, as causas das LPP podem ser divididas em decorrência de fatores extrínsecos e intrínsecos. O primeiro inclui estar imobilizado em uma mesa cirúrgica, cadeira ou leito/cama por períodos prolongados de tempo, bem como dispositivos médicos mal adaptados em contato com tecidos do paciente. Já os fatores intrínsecos envolvem as comorbidades, como diabetes, desnutrição e tabagismo (BOYKO; LONGAKER; YANG, 2018). Diversos são os fatores apresentados na literatura, sendo necessário observar cada paciente e seu estado de saúde. Sobre os estágios da LPP, a nova classificação da NPUAP (2016) a divide em: estágio 1, estágio 2, estágio 3, estágio 4, não estadiável, tissular profunda. Na cartilha, esta divisão foi representada por figuras ilustrativas seguidas de suas definições. Esse estadiamento se torna importante não somente para auxiliar na escolha da cobertura, mas também para entender as queixas do paciente e a gravidade do quadro clínico, pois a profundidade determina o grau da destruição tecidual (MAZZO et al., 2018). Sobre os locais mais comuns de ocorrência da LPP, destaca-se àquelas localizadas em proeminências ósseas, comumente nas regiões da crista ilíaca, trocantérica, sacro/cóccix, maléolo lateral e o calcâneo. Essas localizações são frequentemente acometidas, mas podendo desenvolver em locais atípicos como a boca, orelha e entre outros. A abordagem da Escala de Braden também foi apresentada na cartilha por ser considerada uma ferramenta essencial para predição das LPP. Esta, leva em consideração a percepção sensorial, umidade, atividade, mobilidade, nutrição e fricção com uma pontuação mais alta indicando menor risco (ALMEIDA et al., 2012). Por fim, foram apresentadas na cartilha orientações que a enfermagem pode fornecer para a prevenção das LPP. A prevenção é o passo mais importante no manejo das feridas. É dirigida a aliviar os fatores de risco, e principalmente focada em minimizar os episódios de pressão prolongada, utilizando superfícies de apoio adequadas e o reposicionamento do paciente (SOARES; HEIDEMANN, 2018). Além disso, a literatura também traz a importância em manter a pele limpa e seca, deixando livre dos fluídos corporais (PARK; CHOI, 2016). Conclusão: A implementação de material educativo aos profissionais de saúde pôde interferir diretamente na assistência prestada ao paciente. Tecnologias educativas como a cartilha, oferece informações claras de fácil compreensão, sendo elaborada com figuras e conteúdo didáticos alcançando o público alvo. Considera-se que a cartilha proporcionou o fortalecimento do vínculo profissional/paciente, oferecendo o autocuidado e bem-estar da população, além de informar aos profissionais quanto as medidas de prevenção da LPP em usuários da APS. Para os acadêmicos, a experiência vivenciada na construção da cartilha proporcionou competências na criação de tecnologias impressas e também na compreensão da importância de estrate?gias com potencial de reunir conhecimentos capazes de subsidiar pra?ticas mais seguras no campo da sau?de.

Para participar do debate desse artigo, .


Comentários

Tema relevante, com certeza contribuiu para qualificação do cuidado.

Foto do Usuário Marla Ariana Silva 09-02-2021 12:50:35

O tema é muito relevante e contribui muito para a prática assistencial e acadêmica. Sabe-se que ainda existe muitos fatores limitadores para um bom atendimento aos pacientes com lesão por pressão, visto isso, é fundamental esse tipo de material. Para vocês, qual foi a maior dificuldade no desenvolvimento da cartilha?. Parabéns aos autores pelo excelente trabalho.

Foto do Usuário Cláudia Martins Da Costa 09-02-2021 12:50:35

Parabéns pelo trabalho e sucesso nas próximas produções ! Tema importante e de relevância para a área da saúde, para profissionais e acadêmicos. Quais foram as maiores dificuldades encontradas durante este projeto?

Foto do Usuário Karen Dos Santos Lago 09-02-2021 12:50:35

Ótima iniciativa! Parabéns pela clareza das informações no decorrer do resumo. Pergunta: A cartilha também pode ser disponibilizada para equipes que não estejam inseridas na atenção primária?

Assunto de extrema importância quando se fala em lesão por pressão. Quais desafios tiveram ao produzir essa cartilha ?