DESEMPENHO DO ATRIBUTO LONGITUDINALIDADE DA ATENÇÃO PRIMÁRIA NA SAÚDE DA CRIANÇA: COMO AVALIAM OS CUIDADORES?

Temas: Modelo de Atenção Básica em Saúde


Certificados:
Não disponível

Acessos nesse artigo: 2


AUTORIA

Fernanda Faria Serra Maciel , Isabella Duarte Branquinho , Fernanda Moura Lanza

ABSTRACT
Introdução: a avaliação do desempenho da atenção primária à saúde (APS) é uma das dez
prioridades internacionais de pesquisa em APS para orientar a alocação de recursos e melhorar
a atenção primária global (O`NEILL et al., 2018). O conhecimento da presença e extensão dos
atributos da APS na saúde da criança é de uma fonte de informação valiosa para os profissionais
e gestores do Sistema Único de Saúde (SUS) visando a organização do serviço (PINA et al.,
2015) segundo as recomendações do Ministério da Saúde (MS) (BRASIL, 2015; BRASIL,
2017). Nesta perspectiva, a resolutividade dos problemas e o acolhimento segundo a
necessidade de saúde são essenciais para a configuração da ESF, essa continuidade do cuidado
é avaliada por meio do atributo longitudinalidade. O Primary Care Assessment Tool PCATool
(PCATool) sendo a ferramenta que possibilita essa avaliação, permite a identificação crítica da
realidade local e colabora para um serviço de qualidade, pois orienta a transformação de
políticas públicas em práticas diárias. Além disso, favorece a realização de estudos que apontem
a atuação dos novos documentos, como a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da
Criança (PNAISC) na estruturação efetiva e no avanço da qualificação da atenção primária à
saúde da criança (SANINE et al., 2017).
Objetivo: avaliar a presença e extensão do atributo longitudinalidade na assistência à saúde da
criança segundo a vivência dos cuidadores de usuários com faixa etária de 0 a 2 anos no âmbito
da Saúde da Família.
Método: realizou-se um estudo avaliativo de delineamento transversal, no período entre abril
a dezembro de 2019, contou com 29 equipes da Estratégia Saúde da Família do município de
Divinópolis, sendo no total 339 participantes. Os critérios de seleção foram cuidadores
principais maiores de 18 anos e de crianças de 0 a 2 anos de idade, deveriam possuir vínculo
prévio com a ESF, sendo abordados durante sua presença na unidade, por razão da puericultura
ou outras atividades, e teriam que possuir compreensão mínima para responder o instrumento.
O instrumento utilizado foi Primary Care Assesment Tool – PCATool-Brasil- Versão Criança
(BRASIL, 2010), a análise descritiva dos dados foi realizada por meio do Software Statistical
Package for the Social Sciences versão 23. Respeitou as recomendações éticas do Conselho
Nacional de Saúde e foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa Envolvendo Seres
Humanos sob o parecer 3.090.646.
Resultados: dos 339 cuidadores participantes apenas 53,98% (183) apresentaram afiliação de
grau 4; 30,97% (105) grau de afiliação 3; 12,38% (42) grau 2 e, grau 1, 2,65% (9) do total. O
escore do atributo longitudinalidade alcançou uma média no valor de 6,7 (±1,2), bem próximo
do ponto de corte de alto escore (?6,6) (BRASIL, 2010), tendo uma avaliação de alto escores 
por apenas 59,6 % (202) dos cuidadores. Os itens da longitudinalidade que apresentaram baixo
escores (<6,6) foram D2, D7, D10, D11, D12, D13 e D14; sendo o de pior avaliação D10
(3,7±3,8) que indaga os cuidadores “Você mudaria para outro serviço de saúde se isto fosse
muito fácil de fazer?”. Os itens que obtiveram melhor avaliação foi o D4 (O(a)
médico/enfermeiro responde suas perguntas de maneira que você entenda?), com 97,6% dos
participantes atribuíram alto escore; seguido do item D3 (Você acha que o médico/enfermeiro
da sua criança entende o que você diz ou pergunta?) com 96,8%. Já quando analisamos os itens
do atributo longitudinalidade estratificado pelo grau de afiliação ao serviço de APS observa-se
que quanto maior a afiliação do cuidador à ESF, melhor é o desempenho do item avaliado.
Obteve-se diferença estatisticamente significante nos itens D3, D7, D8, D9, D12 e D13.
Ressalta-se que os itens D10 D12, D13 e D14 tiveram médias dos escores menores do que 6,6,
independente do grau de afiliação. Vale destacar também, que ao estratificar os itens pelo
vínculo com profissional, obtivemos que D2, D3, D7, D8, D9, D13, D14 e o escore
longitudinalidade foram avaliados com médias maiores pelos participantes com vinculação com
o residente de enfermagem. Destaca-se que o item D10 foi avaliado com baixo escore para
todas as profissões. Houve diferença estatisticamente significante nos itens D1, D2, D7, D11 e
o escore do atributo longitudinalidade.
Conclusões: o atributo longitudinalidade na atenção da criança, no município estudado, apesar
estar acima da média ? 6,6, revelou fragilidades relevantes para uma boa orientação da APS,
em que evidencia indícios do modelo centrado na doença, do cuidado individual e uma
dificuldade de um cuidado continuado. Isso pode ser um indicador de obstáculos na construção
do vínculo apontado neste estudo. Além disso, o estudo aponta para a importância da residência
de enfermagem na ESF e a necessidade se investir em qualificação para atenção da saúde da
criança e familiar. Revela-se a importância de estudos como este, no intuito de levantar a
presença dos atributos e verificar a organização do serviço, pois contribui para a efetivação da
implementação dos princípios do Sistema Único de Saúde (SUS) e diretrizes da APS, de modo
a consolidar a atenção na saúde da criança na ESF.
Palavras chave: Atenção primária à saúde; Estratégia saúde da família; Avaliação em saúde;
Qualidade da assistência à saúde; Saúde da criança; Longitudinalidade.

Para participar do debate desse artigo, .


Comentários
Foto do Usuário Marilia Girao De Oliveira Machado 09-02-2021 12:50:35

O presente artigo está de acordo com as normas de publicação. Sem ressalvas.

Foto do Usuário Natalia Rocha Medeiros Marques 09-02-2021 12:50:35

Tema relevante mas de difícil entendimento o material.

Foto do Usuário Mariana Galvao 09-02-2021 12:50:35

O trabalho é excelente, apresenta contribuições importantes para discussão sobre a longitudinalidade. Porém, indico uma discussão mais profunda no que tange o desmonte da ESF na APS para compreender melhor as dificuldades de garantir longitudinalidade em serviços sobrecarregados de demanda espontânea.

Foto do Usuário Rayssa Nogueira Rodrigues 09-02-2021 12:50:35

Parabéns pelo trabalho! Parabéns por abordar um atributo essencial para a avaliação da qualidade da assistência. A relação entre a população e sua fonte de atenção reflete uma relação intensa e de confiança mútua entre os usuários e os profissionais de saúde. O trabalho está bem escrito, linguagem clara e coesa. Resultados importantes!

Foto do Usuário Flávia Renata Da Silva Zuque 09-02-2021 12:50:35

O estudo apresenta tema relevante para a atuação profissional na APS. Contudo, a apresentação dos resultados informando apenas os itens avaliados como D limitou a compreensão das informações que foram avaliadas. Quais foram as maiores dificuldades encontradas na longitudinalidade do acompanhamento?

Foto do Usuário Angelica Santos Emi 09-02-2021 12:50:35

Trabalho muito bom bem elaborado e escrito muito bom

Foto do Usuário Ana Lidia Daniel 09-02-2021 12:50:35

Bastante atual o tema, material bem escrito e coeso parabens

Foto do Usuário Andreia Devislanne Ribeiro 09-02-2021 12:50:35

Trabalho muito relevante mas acho que pode investir um pouco de tempo no resultados.

Artigo possui temática relevante para assistência a saúde da criança. Objetivo claro a metodologia coerente com o estudo. Resultados apresentados de forma concisa. De forma geral sou de parecer favorável para sua aprovação!

Foto do Usuário Daniela Silva Campos 09-02-2021 12:50:35

Artigo bem escrito e aborda um tema relevante acerca do cuidado longitudinal que envolve a puericultura, apesar dos avanços na organização dos serviços de saúde o artigo destaca a forma como ainda fazemos o acompanhamento de saúde focado no indivíduo e não na família como propõe o trabalho na ESF. Vocês colocam a necessidade de ampliar o programa de residência em enfermagem na ESF como uma estratégia para qualificar o cuidado, como vocês avaliam que essa proposta poderia ser adotada para um país como o Brasil com todas as suas particularidades?