Intoxicação exógena: casos notificados na região Nordeste brasileira no período de 2014 a 2017

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Indicadores Sociais de saúde

Acessos neste artigo: 6


Certificado de Publicação:
Não disponível
Certificado de Participação:
Não disponível

COMPARTILHE SEU TRABALHO

AUTORIA

Franklin Learcton Bezerra De Oliveira , Dany Geraldo Kramer Cavalcanti E Silva , Francileide De Oliveira Vanderley

ABSTRACT
A intoxicação exógena ocorre devido à interação como alguma substância química, podendo acarretar em quadros clínicos de níveis variados, desde exantema tópico até complicações sistêmicas, hemorragias, choque, coma e morte. Portanto, é fundamental a notificação dos casos à vigilância epidemiológica para a prática e ações de prevenção da saúde pública. Assim, objetivou-se analisar o perfil dos indivíduos com intoxicação exógena no Nordeste brasileiro no período de 2014 a 2017. Para tanto, desenvolveu-se um estudo descritivo, retrospectivo e quantitativo através dos casos notificados no Sistema Nacional de Agravos e Notificações (SINAN), através da ferramenta TABNET/DATUS para o Nordeste brasileiro.  Foram notificados 101.867 casos de intoxicação exógena, com maior predominância entre: mulheres (52,74%); etnia parda (61,42%) e faixa etária de 20 a 39 anos (37,88%). O medicamento foi a principal causa de intoxicação (35.646 casos- 34,99%). A tentativa de suicídio destacou-se sobre as circunstâncias estudadas (24,54%). O critério clínico foi o mais relevante foi o agudo sobre crônico com 54.836 casos e a evolução clinica mais observada foi à cura sem sequelas (65,61%). Houve ausência de registros para as seguintes variáveis: Etnia (27,90%); Escolaridade (20,33%); Agente tóxico (19,10%); Evolução clínica (30,10%) e Circunstância (23,84%). Caracterizou-se o perfil de intoxicação exógena no Nordeste brasileiro no período de 2014 a 2017 com predomínio de adultos jovens, sexo feminino, etnia parda, agente medicamentoso, meio de tentativa de suicídio, o tipo de exposição é aguda, evolução de tratamento por cura sem sequela e falhas na notificação de itens importantes chegando a 30.10%.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS
Foto do Usuário Maria Carolina Costa Rezende 09-02-2021 12:50:35

O tema do artigo é de extrema relevância, em especial considerando o momento atual. A intoxicação exógena vem se tornando um problema de saúde pública no Brasil e conhecendo o perfil da população acometida, políticas públicas direcionadas podem ser implantadas favorecendo a prevenção desse tipo de agravo.

Foto do Usuário Anna Beatriz Lopes Tavares 09-02-2021 12:50:35

Tema pertinente, metodologia clara, resultados bem apresentados e rica discussão.

Foto do Usuário Jailson Alberto Rodrigues 09-02-2021 12:50:35

Não está claro o que motivou o interesse pelo tema e para a realização do estudo. O recorte temporal escolhido, não muito usual na literatura, não foi justificado. Seria interessante fazê-lo, para maior clareza.

Trabalho apresenta método pouco claro, poderia ter detalhado um pouco mais os aspectos metodológicos. O tema e os resultados apresentados são interessantes.