O uso de uma rede social para disseminação de informações sobre a COVID-19.

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Evidências científicas e relatos de experiência sobre Covid-19

Acessos neste artigo: 9


Certificado de Publicação:
Não disponível
Certificado de Participação:
Não disponível

COMPARTILHE SEU TRABALHO

AUTORIA

Kennedy Andersson Pereira Dos Santos , Emilly Lorrane Domingos Da Silva , Maria Juliana Da Silva Rocha , Maria Josilene Leonardo Da Silva , José Jailson De Almeida Júnior , Cecilia Nogueira Valença , Ilisdayne Thallita Soares Da Silva , Hosana Marta Fernandes Pereira Dias

ABSTRACT
As ações educativas em saúde representam a principal ferramenta de fortalecimento do conhecimento a saúde para a população, ou seja, é a comunicação dos serviços e órgãos com a comunidade, principalmente na oferta de orientações no que tange a prevenção de doenças e a promoção da saúde. Mas, para que essa seja realizada com eficácia é necessário sua adequação a diversos cenários e vocabulários, já que a comunicação é o seu objeto de disseminação. Nessas condições, perante o cenário da pandemia pelo novo coronavírus, causador da doença chamada COVID-19, e a necessidade da difusão das informações sobre a dita cuja, professores, alunos e técnicos administrativos (enfermeira) da Faculdade de Ciências da Saúde do Trairi (FACISA) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) administraram uma conta na rede social Instagram intitulada @coronavirusdiariorn, como meio de transmissão de conteúdos verídicos e decodificados para facilitação do entendimento dos leitores, em especial dos leigos. O trabalho em pauta consiste em um relato de experiência construído a partir das vivências dos envolvidos na administração da página que permanece em funcionamento considerando a persistência dos casos da doença. As atividades realizadas consistem justamente na publicação de materiais produzidos pelo grupo a partir das publicações disponibilizadas pelos órgãos competentes de saúde, além de repostagens e outras ferramentas. A eficácia da conta vem sendo percebida diante dos dados obtidos no questionário de opinião disposto aos seguidores, além da interatividade e da visão da mesma como uma referência de pesquisa das atualizações e conteúdos que cercam a COVID-19.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS
Foto do Usuário Maria Teresinha Tamanini Andrade 09-02-2021 12:50:35

Tema da pesquisa bastante relevante. As seções ''contribuições'' e ''considerações finais'' poderiam ter sido mais exploradas com os resultados do trabalho.

Foto do Usuário Ronaldo Antonio Da Silva 09-02-2021 12:50:35

O estudo apresenta muita relevância social e ressalta a educação em saúde como atribuição inerente ao processo de trabalho da enfermagem. Além disso, o texto está muito bem escrito, inclusive com a pontuação das limitações. Senti falta da discussão sobre outras experiências em contextos já publicados na literatura. Parabenizo os autores pela iniciativa, sobretudo por exercerem ações educativas nesse momento tão delicado.

Foto do Usuário Bruna Gomes De Souza 09-02-2021 12:50:35

Discussão muito necessária, sobretudo em tempos de ''Fake News'' como levantado.

Foto do Usuário Laís Xavier De Araújo 09-02-2021 12:50:35

Parabéns aos autores pela abordagem do tema e pela iniciativa de educação à comunidade por meio do uso das redes sociais. Pergunta: Ao mesmo tempo que hoje a informação é uma benção e um importante suporte nos diferentes âmbitos da vida, o excesso de informações nos prejudica na mesma proporção também. Nas redes sociais existem muitas informações relevantes acerca de determinado tema, como há também muitas falsas mensagens. Como podemos associar a educação ''digital'' à educação popular de forma mais direta, de modo a ajudar na criação de ''filtros'' sobre aquilo que é verdadeiro ou não? Seria isso possível? A educação popular é uma forte aliada dos profissionais de saúde, uma vez que existem aprendizados, inclusive de saúde, que são passados de geração em geração. Mas a grande preocupação com tanto de excesso de informações, é que alguns destes ensinamentos que cruzam gerações estejam errados. Muito boa temática! Parabéns!