Análise retrospectiva da prevalência de leishmaniose na região Transamazônica no período de 2009 a 2019.

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Educação Física, Nutrição, Fisioterapia e áreas afins na Gestão, Educação e Promoção da Saúde

Acessos neste artigo: 4


Certificado de publicação:
Certificado de ALEXANDRE APOLO SILVA COELHO

AUTORIA

Andrey Caique Jorge Da Silva , Alexandre Apolo Silva Coelho , Evellyn Vitória Sousa De Loureiro , Ana Beatriz Costa Da Silva , Helton Correa Alves , Dalberto Lucianelli Junior , Antônio Vivaldo Pantoja , Ozélia Sousa Santos , Renan Rocha Granato , Ademir Ferreira Da Silva Júnior , Roberto Manoel Do Nascimento , Ronaldo Zucatelli Mendonça , Durvanei Augusto Maria , Sergio Mestieri Chammas , Rogério Valois Laurentino , Fernanda Nogueira Valentin Lucianelli

ABSTRACT
A Leishmaniose Tegumentar Americana (LTA) é uma doença infecciosa, não contagiosa, causada por diferentes espécies de protozoários do gênero Leishmania. Além disso, está entre as seis doenças tropicais mais importantes, afetando cerca de 2 milhões de pessoas a cada ano. Nos últimos quinze anos, tem sido relatado um aumento dos casos de LTA em vários estados da Amazônia. O presente trabalho teve como objetivo determinar a incidência e prevalência de LTA na região da Transamazônica entre 2009 e 2019, investigar a associação entre a presença de lesão cutânea e a coinfecção com HIV. Além disso, buscou-se analisar a concordância entre o exame parasitológico e histopatológico, bem como investigar a associação entre o uso de outras drogas e o número de óbitos e os casos de recidiva. Tratou-se de um estudo transversal que utilizou os registros contidos no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN), obtendo-se um total de 6183 pacientes referentes a 9 municípios da região: Altamira, Anapu, Brasil Novo, Medicilândia, Pacajá, Porto de Moz, Senador José Porfírio, Uruará e Vitória do Xingu. Observou-se como resultado a prevalência de 6183 pacientes e a incidência de 5795 novos casos de LTA no período estudado. Em relação aos casos de recidivas, o total foi de 351 casos. Dos 1146 indivíduos pesquisados quanto à coinfecção com o HIV, 16 apresentaram a coinfecção, desses, 15 desenvolveram lesão cutânea e 1 não desenvolveu.  Em 4649 casos, a opção "ignorado" foi marcada nesse campo da ficha.  Quanto à lesão cutânea, 5690 dos novos pacientes apresentaram e 105 não apresentaram. Ao analisar a concordância entre os testes parasitológico e histopatológico, apenas 122 tiveram a sua realização concomitantemente. A positividade entre os dois exames estava presente em 92 casos. Identificou-se que a relação entre a recidiva da doença com os medicamentos utilizados até o momento não possui relevância. Os municípios que apresentaram a maior relação foram Anapu e Medicilândia. O primeiro município, totalizou 648 indivíduos, desses, 110 contabilizam a relação droga/recidiva e 6 a relação outras drogas/recidiva. O segundo, registrou 1411 casos, na relação droga/recidiva teve 90 casos e 51 na relação outras drogas/recidiva. Evidenciou-se, portanto, que a LTA é endêmica na região Transamazônica, configurando-se como um grande problema de saúde pública. Dessa forma, ações preventivas precisam ser feitas para diminuir o número de infectados, como adoção de medidas de proteção individual, manejo ambiental e atividades de educação em saúde. Por fim, a principal contribuição deste trabalho foi identificar as deficiências na assistência ao paciente com leishmaniose na região da Transamazônica e possibilitar o diagnóstico preciso, assim como instituir o tratamento célere e correto.

Para participar do debate desse artigo, .


Comentários
Foto do Usuário Marcia Koike 09-02-2021 12:50:35

Estudo muito bem elaborado, tema importante e leitura amigavel.

Foto do Usuário Margysa Thaymmara Bezerra Rosas 09-02-2021 12:50:35

Trabalho de ótima relevância e que traz contribuições.