MELHORIA DA ASSISTÊNCIA NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE NA ÓTICA DA INTERPROFISSIONALIDADE: REFLEXÕES A PARTIR DE UM GRUPO PET-SAÚDE

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Educação, formação e treinamento em saúde

Acessos neste artigo: 2


Certificado de publicação:
Certificado de Ana Maria Gomes dos Santos

Certificado de participação:
Certificado de Ana Maria Gomes dos Santos

AUTORIA

Ana Maria Gomes Dos Santos , Lisandra Mikaely Barboza Da Silva , Rosivânia Lopes De Lima , Eric Van Mozart Dias Silva , Dimitri Taurino Guedes

ABSTRACT
A Educação Interprofissional (EIP) em Saúde visa o aprimoramento de habilidades e
conhecimentos que permitem uma melhor atuação profissional entre si e com outros
profissionais. Esta revisão tem como objetivo refletir sobre a educação interprofissional como
modelo para melhoria da qualidade da assistência na atenção primária à saúde, a partir de um
grupo do Programa de Educação pelo Trabalho para a Saúde (PET-Saúde). O PET-Saúde surge
com uma iniciativa do Ministério da Saúde brasileiro, tornando-se uma das principais
estratégias de indução para a mudança no processo da formação profissional, se destacando
atualmente por introduzir a EIP nos cursos de graduação em saúde, baseada em competências
colaborativas: atenção centrada no paciente, liderança colaborativa, clareza de papéis, mediação
de conflitos, dinâmica em equipe e comunicação. A Atenção Primária à Saúde (APS) é
caracterizada por atender de maneira regionalizada, contínua e sistematizada à maior parte das
necessidades em saúde de uma população, atuando com a execução de ações preventivas e
curativas a indivíduos e suas comunidades, todavia, estudos apontam que o trabalho
multiprofissional enfrenta dificuldades para sua efetividade. Em prol disso, o PET-Saúde surge
como uma importante estratégia de introdução de mudanças no processo de formação
profissional, possibilitando a identificação de necessidades frequentemente vivenciadas no
serviço de saúde e a sua reflexão, a fim de se alcançar um trabalho colaborativo entre os
diferentes profissionais de saúde que atuam em prol da melhoria da assistência ao usuário.

Para participar do debate desse artigo, .


Comentários
Foto do Usuário Mariana Cabral Da Rocha 09-02-2021 12:50:35

Excelente abordagem sobre o cuidado integral e formas de possibilitar uma atuação profissional centrada no sujeito, impactando em mudanças na formação profissional.

Foto do Usuário Milena Nunes Alves De Sousa 09-02-2021 12:50:35

O trabalho tem potencial, mas confesso que esperei mais do documento, já que o título é bem atrativo. No mais, os autores apenas fizeram uma revisão narrativa (ENSAIO TEÓRICO), poderiam ter adotado algum método sistemático.

o Artigo apresenta sim uma contribuição para o tema uma revisão a partir do programa PET Saúde como é um instrumento significativo para se estabelecer o trabalho em equipe, visto que a colaboração entre membros de um mesmo grupo, e outros setores, requer um diálogo efetivo e aberto. Para autores da interprofissionalidade, como Previato e Baldiserra (2018), a comunicação ganha destaque entre as demais práticas cooperativas, por se tratar de um canal de compartilhamento de perspectivas, dúvidas e opiniões entre membros de uma mesma equipe. Portanto, o diálogo colaborativo contribui positivamente para a melhoria no cuidado em saúde, oportunizando a satisfação dos profissionais e usuários da rede de atenção em saúde (PREVIATO; BALDISERRA, 2018). Embora tenha citado referenciais (autores ) que analisam a interprofissionalidade mas não apresentou uma discussão com outra experiência que tenha acontecido da atuação interprofissionalmente.