DESAFIOS DO ALINHAMENTO ENTRE DECISÕES, AÇÕES E RESULTADOS: análise do planejamento estratégico de uma organização militar

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Gestão estratégica

Acessos neste artigo: 5


Certificado de publicação:
Certificado de Arthur Silva Santos

COMPARTILHE SEU TRABALHO

AUTORIA

Arthur Silva Santos , Lucilaine Pascuci , Victor Meyer Junior

ABSTRACT
A natureza do serviço prestado pelo Corpo de Bombeiros Militar é caracterizada pela incerteza e imprevisibilidade. Adicionalmente, as especificidades do setor público geram uma pluralidade de interesses com objetivos ambíguos e difusos que influenciam na efetividade de um planejamento estratégico tradicional. Assim, o alinhamento entre decisão, ação e resultados, torna-se um grande desafio aos gestores. Este estudo buscou identificar quais aspectos influenciam no (des)alinhamento entre decisões, ações e resultados. Trata-se de um estudo de caso qualitativo, com dados coletados por meio de entrevistas e documentos. A analise fez uso da técnica de análise de conteúdo. Resultados demonstraram um não alinhamento resultante de fatores diversos, tais como: especificidades do contexto publico, hierarquia militar, descontinuidade política, interesses diversos e o imprevisto próprio da atividade. Conclusões demonstram a predominância de estratégias emergentes e improvisacionais, ao invés das planejadas.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS
Foto do Usuário Marili Siqueira Da Silva 09-02-2021 12:50:35

Assunto interessante, bem estruturado, objetivo e sucinto

Foto do Usuário Danilo Passos 09-02-2021 12:50:35

Excelente método de pesquisa Trata-se de um estudo de caso qualitativo, com dados coletados por meio de entrevistas e documentos. A análise fez uso da técnica de análise de conteúdo. Por conhecimento empírico há problemas interno maiores do que os externos nas instituições militares. De forma inacreditável acontece uma distorção no alinhamento de ordens a serem feitas oriundas do setor estratégico que vem do comando geral e do estado maior. Pela hierarquia percorre os mandos legais, as estratégias e planejamentos a serem aplicadas vindas do alto escalão, mas quando chega nas unidades de área os chamados batalhões os chefes comandante de batalhão operam da sua maneira, as vezes não obedecendo, fazendo diferente do que está escrito nas normas publicadas sobre como fazer a segurança pública em determinado período. Isso se dá pelo alto poder e autonomia dado ao cargo que a pessoa ocupa, coronel, tenente coronel ou até mesmo major e não tem fiscalização e controle, constantemente, sobre o que fazem ou deixou de fazer. Assim surge uma organização e estratégias alternativas, estratégias emergentes improvisadas para chegar ao resultado esperado, correndo o risco de aumentar ou diminuir dados. SUGESTÃO E PERGUNTA Em reuniões agendadas pode ser feito o feedback de como os comandantes de área e unidades estão desempenhando as estratégias e planejamentos elaborados pelo setor estratégico, ou seja, do comando geral.

Foto do Usuário Leonardo Fabris Lugoboni 09-02-2021 12:50:35

Olá! Sugiro um detalhamento maior dos protocolo de caso. Sobretudo como foram coletados e analisados os dados (informações primárias e secundárias) Sugiro também enfatizar as contribuições teóricas e gerenciais do estudo.