FATORES DETERMINANTES DA DIVULGAÇÃO VOLUNTÁRIA DE INFORMAÇÕES AMBIENTAIS NOS RELATÓRIOS DE SUSTENTABILIDADE DAS EMPRESAS COM ATIVIDADES EXTRATIVISTAS LISTADAS NA BM&FBOVESPA

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Contabilidade

Acessos neste artigo: 5


Certificado de Publicação:
Não disponível
Certificado de Participação:
Não disponível

COMPARTILHE SEU TRABALHO

AUTORIA

Carlos Adriano Santos Gomes Gordiano , Vanessa Gomes Mendonça , Amanda Vitória Vieira Da Silva

ABSTRACT
Este estudo tem como objetivo principal a identificação dos fatores determinantes da divulgação voluntária ambiental pelas empresas com atividades extrativistas listadas na BM&FBOVESPA. Para tanto, foram selecionados subsetores, considerando sua classificação interna. Após os filtros, a amostra de estudo foi composta por 33 empresas. O estudo tomou como base a análise dos Relatórios de Sustentabilidade (RS) do período de 2014 e 2015, identificando nos mesmos a divulgação dos indicadores essenciais do GRI (Global Reporting Initiative), em sua versão G3.1. Na sequência, tais informações evidenciadas foram relacionadas com 5 hipóteses norteadoras, baseadas nas variáveis tamanho, rentabilidade, endividamento, índice de sustentabilidade e governança corporativa, Pelo coeficiente de correlação de Spearman, buscou-se evidenciar o nível de disclosure ambiental com as hipóteses levantadas, confirmando assim alguns determinantes e invalidando outros. Além disso, foi feita uma breve análise descritiva de informações que cada subsetor apresentou e a variação do nível de divulgação de um ano para outro de cada empresa.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS
Foto do Usuário Alison Silva Ferreira 09-02-2021 12:50:35

O trabalho tem conteúdo fundamental e atual para a contabilidade. Pois estudar como as empresas estão divulgando suas informações de caráter ambiental tornou-se ainda mais importante nos dias atuais em face da preocupação da sociedade com o meio ambiente e o futuro das gerações. Faço apenas algumas ressalvas: Parágrafo 8 e 9 (Introdução): Há uma diferença entre as fontes destes e dos parágrafos anteriores. Tópico 1 (Referencial Teórico): Acredito que neste tópico, os autores deveriam ter trabalhado mais as inferências entre extrativismo e seus efeitos ao meio ambiente. Os autores focaram em conceitos e não adentraram aos aspectos da temática, senti falta, por exemplo, do relacionamento entre extrativismo e as empresas poluidoras (objeto do estudo) e de considerações engajadas dos efeitos da extração a natureza. Tópico 2 (Referencial Teórico): Particularmente indicaria que este tópico iniciasse o referencial, por dar ênfase a temática. Além disso, penso que os autores poderiam ter trabalhado melhor o mesmo, abordando primeiro a contabilidade ambiental como ramo da contabilidade e, em seguida, a divulgação ambiental. Pontuo positivamente a inserção dos trabalhos importantes da área contábil ambiental, que são praticamente clássicos, a citar: Tinoco e Kraemer (2004); Yamamoto e Salotti (2006) e Calixto (2007). Metodologia: Pontuo positivamente a estrutura utilizada, mas ressalvo que o coeficiente citado, posteriormente, no tópico 4.2 para analisar as hipóteses da pesquisa quanto ao nível de divulgação ambiental, deveria ter sido retratado nos procedimentos metodológicos. Resultados: Pontuo positivamente a discussão realizada, e indico apenas, caso os autores desejem prosseguir com o trabalho, com interesse a publicar em Periódicos, a realização de testes quantitativos mais avançados.

Pergunta: porque a escolha dos anos foi 2014 e 2015? Sugestão: Na introdução poderia ter justificado a importância da pesquisa.