O CRÉDITO, O MATERIALISMO, O VALOR DO DINHEIRO, O BEM ESTAR FINANCEIRO, O ENDIVIDAMENTO E AS FINANÇAS COMPORTAMENAIS NA JUVENTUDE

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Finanças

Acessos neste artigo: 2


Certificado de publicação:
Certificado de Wanessa Hellen Santana do Nascimento

COMPARTILHE SEU TRABALHO

AUTORIA

Érico Veras Marques , Lianderson Matheus Leite De Oliveira , Késsia Raquel Matos Garcia , Wanessa Hellen Santana Do Nascimento

ABSTRACT
O presente trabalho tem como objetivo analisar a relação dos jovens com o crédito, endividamento e as finanças comportamentais. Tendo como origem a seguinte questão de pesquisa: De que forma os jovens têm feito uso dos instrumentos de crédito financeiro e como os aspectos comportamentais provocam o seu endividamento? Quanto à abordagem do problema, a presente pesquisa tem natureza quantitativa, a partir da aplicação de uma survey com 273 respondentes. Os dados foram levantados através de questionários em escala Likert de 5 pontos. Utilizou-se métodos estatísticos para a análise dos resultados. Os resultados encontrados mostram que os jovens utilizam mais o cartão e o cheque especial e não conhecem as taxas cobradas pelos instrumentos de crédito. Demonstram também que existe uma relação entre o uso do crédito, com o materialismo, o valor do dinheiro, o bem estar e as finanças comportamentais. Entretanto não foram evidenciadas situações de endividamento, na amostra estudada. O que pode ser explicado pelo perfil da amostra: eminentemente de jovens com ensino superior completo e/ou incompleto.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS
Foto do Usuário Rodrigo Abbade Da Silva 09-02-2021 12:50:35

Parabéns, o trabalho está bem escrito. Porém, há alguns erros gramaticais. Também sugiro rever as normas ABNT. Os objetivos devem esclarecer que serão investigados a relação entre diferentes gêneros e sobre dois grupos de jovens, para isso seria necessário fundamentar essa escolha citando alguns outros estudos. Na metodologia, poderia dizer que se trata de um experimento, assim não teria o problema de ter que estimar o tamanho de uma amostra. Adicionar o questionário utilizado como um apêndice, fazer uma Tabela dizendo o número total de assertivas por construto. Nos resultados poderia fazer uso de gráficos de setor (pizza), não há necessidade de descrever todos os resultados em %, porém, deve falar sobre os principais resultados e comparar com outros estudos de outros autores, isso é o que mais faltou nos resultados. Por fim, nas conclusões faltou por as limitações do seu estudo.Por que não analisou para todos os gêneros e todos os grupos 1 e 2 juntos? Para comparar com o que já fez.

Foto do Usuário Elan Nascimento Apolinário 09-02-2021 12:50:35

O artigo trouxe à tona uma temática interessante, está bem escrito, com fundamentação teórica bem embasada cientificamente, fazendo citações em praticamente cada parágrafo e com um bom encadeamento de ideias. No entanto, a apresentação e discussão dos resultados poderia ser melhor, pois como o questionário aplicado foi bastante extenso, uma apresentação de resultados com recursos gráficos ou tabelas iria ser mais proveitoso e melhor de se ler, ficou cansativa a leitura da análise. Deixo como sugestão para os autores a ideia de aprimorar o questionário utilizado na pesquisa, reduzindo o número de questões, tendo em vista que 89 questões torna o questionário, mesmo que seja online, longo e cansativo, podendo ocasionar uma influência negativa nas respostas, já que do meio para o fim o respondente não tem mais o mesmo nível de foco por já está se sentindo fadigado com tantas perguntas. Lanço a seguinte pergunta aos autores: o que seria está endividado? Que elementos mostrariam que o jovem está endividado?

Foto do Usuário Vania Regina Morás 09-02-2021 12:50:35

Tema sempre atual e pertinente. Artigo bem estruturado e bem escrito. Faltou clareza, do por que da escolha da amostra. Faltou caracterizar essa amostra.