Práticas discriminatórias nas organizações relacionadas à homossexualidade

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Gestão de RH

Acessos neste artigo: 3


Certificado de publicação:
Certificado de Rúbia Oliveira Corrêa

COMPARTILHE SEU TRABALHO

AUTORIA

Daisiane Bispo Dos Santos , Rúbia Oliveira Corrêa , Gustavo Dambiski Gomes De Carvalho , Rodrigo Teles Dantas De Oliveira , Jefferson Reis Guimarães Andrade

ABSTRACT
Este estudo objetivou analisar as práticas discriminatórias e as estratégias de sobrevivência de homossexuais em organizações situadas em Aracaju, Sergipe. Trabalho descritivo, exploratório e de natureza qualitativa, conta com dados coletados por meio de entrevistas semiestruturadas e analisados com o auxílio da análise da narrativa. As entrevistas foram realizadas com seis homossexuais masculinos que trabalham em organizações privadas. Os resultados revelaram que esses indivíduos sofrem preconceito e discriminação dentro do ambiente organizacional. Por fim, percebeu-se que existe uma evidente deficiência em relação às políticas em prol da diversidade no âmbito das organizações abordadas, o que qualifica o cenário analisado como predominantemente preconceituoso e discriminatório.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS
Foto do Usuário Bruno Luís De Oliveira Martins 09-02-2021 12:50:35

Apesar de o trabalho não trazer novidades empíricas em relação à agenda de estudos do ponto de vista do que foi expresso pelos entrevistados, o estudo aponta o quanto estas relações, de homossexuais masculinos com seus pares no ambiente de trabalho ainda devem ser descritas e apresentadas. Mesmo após pouco mais de uma década do início das pesquisas brasileiras sobre o assunto, as mesmas questões continuam a ser apresentadas e discutidas. Discordo que a pesquisa seja exploratória, visto que já existe bastante conhecimento acumulado sobre a homossexualidade nas organizações e relações de trabalho dos homossexuais masculinos, me parece mais um caminho descritivo, pois contribui com novas visões. Para contribuição, recomendo dar atenção a atualização da revisão da literatura, por mais que tenham sido utilizados trabalhos e autores “clássicos”, muita coisa sobre a temática foi publicada de 2015 para cá. Qual o porte (“tamanho”) das empresas? Isso é uma questão importante no que tange às políticas de diversidade, visto que empresas maiores tendem a ter mais discussões sobre o tema. No mais, gostaria de parabenizar pelo trabalho, é importante que estas discussões sejam realizadas. Sucesso às/aos autoras/es.

Foto do Usuário Albaniza Irani Sales 09-02-2021 12:50:35

O presente artigo apresenta algumas lacunas no sentido de não especificar de modo mais incisivo, o real objetivo. Ou seja, o que representaria de fato, a discriminação de gênero dentro das organizações. Também, apresenta falhas no sentido de não especificar a metodologia, se é de caráter qualitativo ou quantitativo. Assim, como também não especificou os critérios para a escolha da amostra de pessoas que foram entrevistadas, isto é, a(s) área(s) de atuação escolhida para a coleta dos dados. As referências também são de pesquisas realizadas com mais de 10 anos de escrita, não todas, mas as mais citadas são de pesquisas já realizadas a mais de uma década. É necessário o cuidado na escolha das referências, pois as pesquisas clássicas precisam ser comparadas e analisadas em relação a outras mais recentes, criando deste modo uma evolução de concepções e, de como o autor percebe nos dias de hoje a realidade encontrada. Nas considerações finais os autores apenas citam as discriminações que, obviamente, são de conhecimento público, que existem. O que faltou de essencial foi a constatação advinda de práticas que seriam ideais para o enfrentamento desta realidade, em termos organizacionais. Recomendo a reescrita completa do artigo, para atualizações gerais de informações pertinentes à pesquisa.