Entre o dia e a noite em Belo Horizonte: registros fotográficos dos espaços públicos

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Administração Pública

Acessos neste artigo: 3


Certificado de publicação:
Certificado de PATRÍCIA DANIELA SOUZA DOS ANJOS
Certificado de Armindo dos Santos de Sousa Teodósio

AUTORIA

Patrícia Daniela Souza Dos Anjos , Marinette Santana Fraga , Armindo Dos Santos De Sousa Teodósio

ABSTRACT
Este artigo objetiva evidenciar, no âmbito da gestão social e da administração pública, a utilidade diurna e noturna da cidade de Belo Horizonte para seu povo. Norteia-se pela abordagem da concepção de cidade, trazendo como recorte a ocupação dos espaços públicos. As ações praticadas pelo povo dentro da urbe são misteres, visto serem carregadas de simbolismos e, ao mesmo tempo, dependentes das formas como os gestores públicos administram os recursos e reordenam sua ocupação para minimizar as desigualdades. O registro fotográfico e a análise narrativa foram usados como metodologia para distinguir a utilidade diurna e noturna dos espaços sociais nas cidades. Aplicou-se a pesquisa qualitativa com anotações de campo e vivência in lócus para compreender melhor a ressignificação desses espaços a partir dos diversos sujeitos ali presentes. Dia e noite, os espaços são e podem ser apropriados com ressignificações e reivindicações das relações individuais, coletivas ou de sobrevivência. Os resultados evidenciam espaços contraditórios que durante a noite servem como moradias sociais e durante o dia são espaços capitalistas que emergem com o nascer do sol e desaparecem os abrigos noturnos dos necessitados. A dinâmica do dia acontece com intensos fluxos automotores em vias urbanas, conflitos por interesses pessoais, políticos e de práticas de controle que privilegiam os interesses da minoria.

Para participar do debate desse artigo, .


Comentários
Foto do Usuário Bruno Da Silva Soares 09-02-2021 12:50:35

A começar pelo título, o trabalho é muito interessante. Abordar a significação dos espaços públicos é importante para que se pense em políticas públicas de valorização desses espaços, que de fato atendam às diferentes necessidades da população. Pergunta: O que motivou a realização dessa pesquisa em BH? Sugestão: Criar a seção "Referencial teórico" no artigo, a fim de dar mais embasamento pro leitor. No mais, parabenizo os autores por um trabalho tão original e relevante.

Foto do Usuário Fagner Cordeiro Dantas 09-02-2021 12:50:35

Trata-se de uma tentativa de incursão no campo da antropologia urbana, com flertes também com a filosofia. A intenção do título é instigante porém o resultado final (talvez até pela expectativa do título), ficou um pouco a desejar, O texto está excessivamente descritivo quando poderia ser mais analítico, intercalando o que a imagem "mostra" e o que dela podemos "ler". Sugestão: além de referências fundamentais para entender o lugar (Yu-Fu Tuan, Murilo Marx, Heitor Frugolli jr e, é claro, Kevin Lynch), uma sugestão simples é que as fotos (dia e noite) estejam no mesmo ângulo, facilitando a comparação. Uma pergunta: qual o diferencial que a fotografia, enquanto suporte analítico, dá ao trabalho de vocês? Caso vocês usassem, por exemplo, videos ou gravuras/pinturas destes mesmos espaços, acreditam que teriam percepções diferentes? Se sim, quais?

Foto do Usuário Tatiana Lima Brandão 09-02-2021 12:50:35

Perspectiva temática muito interessante de ressignificação do espaço urbano e as práticas cotidianas e sociais no ambiente. Fonte de observação para políticas públicas em prol da sociedade.