POLÍTICAS PÚBLICAS DIRECIONAS AO PERÍODO GRAVÍDICO-PUERPERAL E O USO DE SUBSTÂNCIAS PSICOATIVAS: PERSPECTIVA DO CUIDADO EM REDE

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Saúde da Mulher

Acessos neste artigo: 2


Certificado de publicação:
Certificado de Amanda do Rosário Tavares

AUTORIA

Amanda Do Rosário Tavares , Karen Barcelos Lopes , Melissa Hartmann , Eduarda Ramos De Leon , Juliane Portella Ribeiro

ABSTRACT
As políticas nacionais voltadas à saúde da mulher foram criadas no século XX, sendo restrita sua atenção a questões biológicas e de reprodução. Ao longo dos anos, diversas incorporações foram realizadas, dentre os principais objetivos das políticas atuais está o acolhimento à mulher desde o início da gravidez, assegurando, ao fim da gestação, o nascimento de uma criança saudável e a garantia do bem-estar materno e neonatal qualificado e humanizado. Entretanto, há situações e fragilidades na oferta de integralidade da assistência que pode implicar riscos para o binômio mãe e bebê, especialmente se há um dos fator de risco gestacional como o uso de substâncias psicoativas. O objetivo deste artigo visa analisar as políticas públicas direcionadas ao período gravídico-puerperal, considerando o cuidado à mulher usuária de substâncias psicoativas e a perspectiva do cuidado em rede.  Observa-se que os serviços de saúde priorizam as atividades voltadas a saúde reprodutiva, como foco no pré-natal e puerpério, sem atenção à detecção e/ou acompanhamento referente ao uso de substâncias psicoativas. Além disso, faz-se necessário que a equipe assistencial tenha um preparo especial, considerando características psicológicas e sociais da mulher. No entanto, é notória a lacuna existente na Rede de Atenção à Saúde em relação ao cuidado as gestantes usuárias de substâncias psicoativas, uma vez que não há uma linha de cuidado específica a esta população. A estruturação dos pontos de atenção, a qualificação dos profissionais e a busca da oferta de cuidado adequado às necessidades dos usuários é primordial para garantir à assistência integral a saúde da mulher. 

Palavras-chave: Usuários de drogas. Saúde materno-infantil. Gravidez de alto risco. Período pós-parto. Serviços de saúde materno-infantil. Enfermagem.

Para participar do debate desse artigo, .


Comentários
Foto do Usuário Cosme Rezende Laurindo 09-02-2021 12:50:35

Trabalho bem escrito, organizado. Enquanto contribuição sugiro explorarem mais as políticas que relacionam o setor saúde com os demais setores no âmbito de drogas. Como no subtítulo vem citando perspectiva do cuidado em rede, também é um elemento que poderá ser melhor explorado, trazendo um pouco mais dos equipamentos e sua relação com a assistência a este pública. Estão de parabéns!

Foto do Usuário Cosme Rezende Laurindo 09-02-2021 12:50:35

Trabalho bem escrito, organizado. Enquanto contribuição sugiro explorarem mais as políticas que relacionam o setor saúde com os demais setores no âmbito de drogas. Como no subtítulo vem citando perspectiva do cuidado em rede, também é um elemento que poderá ser melhor explorado, trazendo um pouco mais dos equipamentos e sua relação com a assistência a este pública. Estão de parabéns!

Foto do Usuário Cosme Rezende Laurindo 09-02-2021 12:50:35

Trabalho bem escrito, organizado. Enquanto contribuição sugiro explorarem mais as políticas que relacionam o setor saúde com os demais setores no âmbito de drogas. Como no subtítulo vem citando perspectiva do cuidado em rede, também é um elemento que poderá ser melhor explorado, trazendo um pouco mais dos equipamentos e sua relação com a assistência a este pública. Estão de parabéns!

Foto do Usuário Júlia Junquilho Birchler 09-02-2021 12:50:35

Excelente trabalho. Muito bem desenvolvido, e de uma boa temática.

Foto do Usuário Pamela Cristina Toty Dos Santos 09-02-2021 12:50:35

Parabenizo o trabalho, muito organizado e estruturado. Sugiro destrinchar melhor sobre a questão da saúde e drogas, as ações de campo.