ALINHAMENTO ESTRATÉGICO NA GESTÃO PÚBLICA DE UM MUNICÍPIO DO OESTE PAULISTA

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Gestão estratégica

Acessos neste artigo: 3


Certificado de publicação:
Certificado de Erika Mayumi Kato-Cruz

COMPARTILHE SEU TRABALHO

AUTORIA

Erika Mayumi Kato-Cruz , Josiane Santana Meira , Gustavo Yuho Endo , Kamila Da Silva

ABSTRACT
Um dos grandes desafios atuais enfrentados pelos gestores consiste em implementar os objetivos definidos no planejamento estratégico, isso porque este processo envolve o alinhamento das metas e ações em diferentes níveis e setores da organização. Deste modo, essa pesquisa surgiu da necessidade de se demonstrar para os gestores públicos que o planejamento e o alinhamento estratégico são ferramentas de gestão de muita importância para tomada de decisões e melhor aproveitamento do tempo e dos recursos públicos. Sendo assim, esse estudo objetivou compreender como ocorre o planejamento e o alinhamento estratégico na gestão pública de um município do Oeste Paulista, com foco na Secretaria de Assistência Social. Para tanto, a pesquisa foi realizada por meio de uma abordagem qualitativa, descritiva, do tipo estudo de caso. A partir deste trabalho, encontrou-se evidências de que o planejamento estratégico é um instrumento que deve ser utilizado, pois viabiliza o alinhamento estratégico dos órgãos, entidades e servidores às metas do governo e, assim, facilita a política de gestão pública por bons resultados aos governados.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS
Foto do Usuário Aslei Andrade Da Silva 09-02-2021 12:50:35

Alguns pontos do artigo são ponto básico de discussão e poderiam ser substituídos por questões mais profundas, por exemplo, é de senso comum no meio estratégico que o planejamento visará objetivos e metas. Assim, no momento em que a afirmação de que se o que for definido for observado e cumprido poderia vir acompanhado de alguma informação que nos guiasse a formas de garantir essa observação e cumprimento. Há a afirmação de que a gestão pública é imprescindível no cenário atual, então poderíamos ter alguma informação direcionando a atuação de gestores para tornar essa ideia viável na cabeça dos usuários do serviço por parte do planejamento. O artigo afirma que o capital humano é quantitativa e qualitativamente insuficiente, assim, como poderíamos garantir o uso adequado do planejamento estratégico em uma organização pública? Um dos conceitos apresentados afirma que ''os executivos definem uma estratégia específica''. Nesse contexto, os executivos, geralmente, não desempenham as atividades finalísticas das empresas. Não seria prudente que ele definisse a estratégia contando com o apoio de quem desempenha essas funções? Isso não garantiria um melhor alinhamento estratégico? A entrevistada 1 ''declarou que a maior dificuldade é constatar o erro ou a falha do ano anterior e planejar para que no ano seguinte esse erro não seja cometido novamente''. Nesse sentido, isso não corrobora com a eventual não participação na formulação das estratégias por parte daqueles que realizam a atividade finalística do órgão? Será que o envolvimento dessas pessoas não favoreceria esse controle uma vez que as falhas ou acertos se dão na área finalística como resultado de um processo de trabalho? Por fim, o artigo afirma que os gestores praticam o planejamento e entendem sua importância, mas se baseiam apenas no plano municipal de assistência social. Isso não denota que talvez os gestores estejam confundindo plano estratégico com plano tático ou operacional?

Foto do Usuário Tayso Silva 09-02-2021 12:50:35

O artigo reúne condições para ser aprovado. O tema é contributivo à prática e à teoria do campo da estratégia. Entre as oportunidades de aprimoramento, há necessidade de fundamentar a teoria com autores que sejam referência da área e revisar a interpretação das análises cuidando com julgamentos de valor.