Time-Driven Activity-Based Costing (TDABC) versus Activity Based Costing (ABC): um estudo de caso em uma Instituição Financeira

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Contabilidade

Acessos neste artigo: 1


Certificado de publicação:
Certificado de Maicon Rabelo Guimarães

COMPARTILHE SEU TRABALHO

AUTORIA

Simone Alves Da Costa , Maicon Rabelo Guimarães

ABSTRACT
Este artigo apresenta os resultados de um estudo de caso em uma instituição financeira que analisou a aplicação do Time-Driven Activity-Based Costing (TDABC) em comparação com o Activity-Based Costing (ABC). Tal estudo abordou funcionários que atuam nas áreas de gestão de custos e mapeamento de processos dos produtos utilizando, para isso, um estudo de caso. Tal estudo compreendeu: entrevistas com os participantes da área para entendimento do processo e compreensão da percepção dos respondentes sobre ele; desenho da apuração de custos pelo método ABC; replicação do processo de custeio, agora pelo método TDABC; e validação dos modelos construídos pelos principais representantes da respectiva área da empresa. De forma geral, foi observado que a complexidade do ABC torna esse custeio moroso e de difícil atualização, embora tenha um maior nível de detalhamento das informações. Por outro lado, foi possível notar a eficiência do TDABC como um modelo mais simples, de fácil implementação e manutenção. Além disso, esse modelo apresentou vantagens quanto ao custo unitário do produto, por desconsiderar a ociosidade no cálculo. Entretanto, o modelo apresenta desvantagens no que se refere a departamentos que não possuem atividades estruturadas, o que dificulta a elaboração das equações de tempo, bem como a subjetividade para estabelecer o tempo de algumas atividades. Apesar disso, concluiu-se que o TDABC foi mais eficiente para o cálculo de custos da Instituição Financeira, podendo ser utilizado para simplificar o modelo atual da empresa.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS
Foto do Usuário Eric Ferreira Dos Santos 09-02-2021 12:50:35

As colocações aqui são a título de contribuição para a melhoria do trabalho científico. Todas as colocações se aplicam ao texto e seu conteúdo. O tema sobre ABC versus TDABC ainda carece de pesquisas no Brasil. Parabéns aos autores pela escolha do tema. O objetivo é claro, mas incompleto, pois não apresenta delimitação geografica da instituição financeira ou algum aspectos pontual da instituição financeira. Isso poderia ser adicionado. Os autores possuem acesso a artigos em ingles? Os autores poderiam melhorar muito a discussão se citassem artigos estrangeiros, pois há muito pesquisa de TDABC mundo a fora. A discussão fica restrita sem a citação de principais artigos em ingles sobre o tema. Outra sugestão é dar mais enfase aos aspectos utilitarios do TDABC, sabendo que o TDABC foi criado como um alternativa simplificada ao ABC. A redução de custos na implementação do TDABC é uma de suas vantagens.

Foto do Usuário Ewerton Alex Avelar 09-02-2021 12:50:35

Primeiramente, parabenizo aos autores por explorarem o tema Time-Driven Activity-Based Costing (TDABC), que ainda demanda estudos sobre sua aplicabilidade em empresas brasileiras. Ademais, salienta-se que o desenvolvimento de um estudo de caso parece ser a melhor alternativa nesse sentido, por permitir uma melhor contextualização dos achados. A seguir, apresento algumas considerações e sugestões para o trabalho, que julgo serem passíveis de avaliação para o seu aprimoramento: (a) alguns parágrafos estão bastante curtos e demandariam um maior desenvolvimento para que a ideia seja apresentada de forma clara e completa, melhorando o processo de leitura; (b) as referências empregadas são bastante dependentes da literatura nacional, sendo que o foco internacional é em Kaplan e Anderson (2007), proponentes do método de custeio e que tendem a ter uma perspectiva pouco crítica sobre suas limitações; (c) sugiro criar uma seção no artigo apenas para descrever os estudos anteriores sobre o TDABC, apresentando, ao fim, um quadro resumo da metodologia empregada em cada um e dos principais resultados obtidos; (d) os resultados são apresentados de forma bastante simplificada e com pouca inter-relação com a literatura; e (e) diversas informações coletadas pelos pesquisadores poderiam ser analisadas explicitamente na apresentação dos resultados, de forma a contextualizar melhor os achados. Diante do exposto, seguem questões que recomendo para a reflexão dos autores: Entendendo que o sistema de informações de custos de uma empresa esteja subordinado à sua estratégia corporativa, qual(is) a(s) contribuição(ões) das informações de custos (ABC ou TDABC) para a sustentabilidade da vantagem competitiva de instituições financeiras (como o banco estudado)? Em geral, faria diferença significativa o emprego do ABC ou do TDABC do ponto de vista estratégico neste caso?