O CONSUMO DE ENERGIA E EMISSÕES DE CO2 NA CADEIA BOVINA DE CORTE BRASILEIRA NO PERÍODO DE 2000 A 2014: UMA ANÁLISE INSUMO-PRODUTO

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Agronegócios

Acessos neste artigo: 1


Certificado de Publicação:
Não disponível
Certificado de Participação:
Não disponível

COMPARTILHE SEU TRABALHO

AUTORIA

Luís Antônio Sleimann Bertussi (Upf) , Marco Antonio Montoya , Eduardo Belisário Finamore , Thelmo Vergara Martins Costa

ABSTRACT
Este artigo, com base nas matrizes energéticas e de emissões desagregadas e compatibilizadas com as matrizes insumo-produto do Brasil, aponta no final do período de 2000 a 2014 que a Cadeia Bovina de Corte foi responsável no agronegócio, por 8,00% do consumo de energia, por 5,50% das Emissões de CO2, por 14,20% do PIB e por 17,60% dos empregos. Os índices de intensidade e produtividade evidenciaram ganhos de eficiência no consumo de energia, uma trajetória de emissões mais limpas no meio ambiente e, um processo de modernização da cadeia dado o aumento da produtividade da mão de obra. Conclui-se, portanto, que a cadeia está conciliando suas atividades de produção com menores externalidades negativas sobre o meio ambiente.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS
Foto do Usuário Mariza De Almeida 09-02-2021 12:50:35

O artigo se refere a um assunto da atualidade e de grande relevância para a sociedade. O uso da matriz insumo-produto foi adequada para o objetivo proposto. Como sugestões indico colocar o objetivo no resumo e, futuramente, expandir a análise com o uso de fronteira estocástica adaptada para analisar as eficiências técnica e ambiental da cadeia bovina.

Foto do Usuário Marcio Roberto Konzen 09-02-2021 12:50:35

Discussão pertinente aos anseios ambientais, sendo hoje disponibilizadas novas tecnologias, tanto para produção de proteína bovina como para produção de energia limpa.