ANÁLISE DO NÚMERO DE ÓBITOS POR CÂNCER DE PRÓSTATA, DE 2008 A 2017, NO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, BRASIL

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Sistemas de Avaliação em Saúde

Acessos neste artigo: 2


Certificado de Publicação:
Não disponível
Certificado de Participação:
Não disponível

COMPARTILHE SEU TRABALHO

AUTORIA

Micael Colodette Pianissola , Fabileny Sara Barcelos , Pietro Andrade Alcantara , Denise Sousa Amaral , Elizangela Késsia Valcileski Pereira , Raquel Rocha Oliveira , Sandra Mara Almeida Santos Martins , Mariana Guerra Pagio , Ester Louzada Hell

ABSTRACT
Introdução: A representação social do homem enquanto sujeito forte, resistente e invulnerável tem sido apontado como importante barreira cultural, a qual contribui para o distanciamento desses sujeitos dos serviços de saúde. O câncer de próstata permanece como a neoplasia sólida mais comum e a segunda maior causam de óbito oncológico no sexo masculino. Objetivo: Descrever o número de óbitos por câncer de próstata entre os anos de 2008 a 2017, em homens de 40 a 74 anos, no Estado do Espírito Santo, Brasil. Método: Estudo descritivo, retrospectivo, com uma abordagem quantitativa. Foram coletadas informações relativas aos anos de 2008 a 2017, obtidas a partir dos dados disponíveis das Informações de Saúde (TABNET) pertencente ao Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS). O estudo foi realizado durante o segundo semestre do ano de 2019. Resultados: Entre os anos de 2008 a 2017, o Estado do Espírito Santo apresentou 1.000 óbitos por câncer de próstata entre os homens de 40 a 74 anos. O ano de 2015 apresentou a maior concentração dos casos com 112 óbitos e o ano de 2013 o menor número de casos com 84 óbitos. Percebeu-se, que os números de óbitos não apresentaram grandes variações no espaço de tempo analisado. As taxas de mortalidade referentes ao período analisado expuseram gradativa alternância no decorrer dos dez anos, com pequenos picos de crescimento e quedas, porém apontaram declínio ao comparar os anos de 2008 a 2017. O ano de 2008 apresentou a maior taxa com o valor de 2,04 e o ano de 2016 o menor valor com 1,36. Conclusão: O câncer de próstata é uma importante causa da mortalidade em homens no Brasil e sendo um problema de saúde pública. Em relação à completude de dados do DATASUS, observaram-se pontos positivos de desempenho nas notificações, entretanto, há a necessidade de aprimoramento da capacitação para o processo de preenchimento completo dos dados referentes aos óbitos.  No que se refere à avaliação da tendência de mortalidade por câncer de próstata no Espírito Santo, foi identificado que a mortalidade por câncer de próstata possui uma tendência crescente após a faixa etária de 50 anos, e principalmente após 70 anos.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS
Foto do Usuário Filiciana Ferreira Silva 09-02-2021 12:50:35

O artigo apresenta metodologia adequada e cumpriu o objetivo proposto.

Foto do Usuário Yasmin Veronez Cardoso 09-02-2021 12:50:35

Excelente artigo, muito bem construído, assunto super relevante!

Foto do Usuário Silas Alves Da Silva 09-02-2021 12:50:35

Tema muito interessante, agrega subsídios para a pesquisa futuras de uma patologia que tem sido muito discutida pelas altas taxas de morbimortalidade.

Foto do Usuário Phallcha Luízar Obregón 09-02-2021 12:50:35

O estudo apresenta informações sobre a prevalência de câncer de próstata no Espirito Santo, com informações coletadas através de sistema do SUS. Nos resultados apresentados, o campo ''Ignorado'' em algumas variáveis compromete a análise epidemiológica.

Foto do Usuário Alisson Fernandes Bolina 09-02-2021 12:50:35

Temática relevante sobre o câncer de próstata no Estado de Espírito Santos - ES, Brasil. De maneira geral, o texto está bem organizado, com encadeamento de ideias e, portanto, há fluidez na leitura do texto. Aponto alguns comentários para o aprimoramento do estudo: - Rever os objetivos do estudo, pois nos resultados também foi feita a caracterização dos casos de câncer de próstata segundo as variáveis faixa etária, cor/raça; escolaridade e estado civil; - Revisão da literatura: faltou apresentar a lacuna da literatura e, por conseguinte, a relevância do estudo; - Critérios de exclusão não constituem a negação dos de inclusão; - Na seção dos resultados: rever o tempo verbal (verbos devem estar no pretérito); - Padronizar sigla CA para câncer de próstata em todo o texto; - Há divergência entre os resultados e discussão. Por exemplo: “verificou-se que o Estado apresentou uma linearidade dos casos de óbitos notificados, sem apresentar grandes variações”. No entanto, nos resultados diverge essa informação: “as taxas de mortalidade referentes ao período analisado expuseram gradativa alternância no decorrer dos dez anos” - Algumas inferências feitas pelos autores na discussão precisam ser tratadas com cuidado (relação do câncer com os fatores de risco), pois o delineamento do estudo foi descrito e, assim, não analisaram associações entre as variáveis. - A conclusão está mais condizente como considerações finais. Conclusões devem se ater a responder ao objetivo do estudo.