DIAGNÓSTICO DO USO DAS PLANTAS ALIMENTÍCIAS NÃO CONVENCIONAIS – PANC, EM COMUNIDADES SUSTENTÁVEIS NO MUNICÍPIO DE MACEIÓ - AL

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Desenvolvimento rural

Acessos neste artigo: 2


Certificado de participação:
Certificado de Tauan de Almeida Penzo

Certificado de publicação:
Certificado de Tauan de Almeida Penzo

COMPARTILHE SEU TRABALHO

AUTORIA

Adelmo Lima Bastos , Tauan De Almeida Penzo

ABSTRACT
RESUMO
As Plantas Alimentícias não Convencionais, PANC surgem como alternativa de alimento e/ou complemento nutricional para as pessoas, no entanto, de uma maneira geral, não são ou são pouco usadas para essa finalidade, normalmente chamadas de ervas daninhas ou mato. Este presente trabalho tem o intuito de realizar um levantamento do conhecimento e uso das PANC por comunidades e organizações de Maceió, capital de Alagoas, visando sistematizar as práticas relacionadas a essas plantas. Utilizou-se uma metodologia em que os dados foram apresentados a partir de análises descritivas qualitativa e quantitativa. Para caracterizar os entrevistados e as propriedades (Comunidade Sustentável), uma forma descritiva qualitativa foi aplicada para sistematizar os dados socioeconômicos obtidos.  As PANC foram analisadas conforme sua caracterização, relacionando o nome popular com sua respectiva taxonomia (família, gênero e/ou espécies), via consulta ao banco de dados da Flora do Brasil (2020). Observou-se que das comunidades sustentáveis, todas eram formadas por conjuntos de terrenos de propriedade privada, designado para moradia, mais os terrenos de conservação de áreas verdes e espaços comuns para implantação de atividades produtivas, recreativas e religiosas com práticas mais sustentáveis. A Aldeia Verde destaca-se com maior área total: 31 ha, onde possui uma Reserva Particular de Patrimônio Natural (RPPN) de aproximadamente 17 ha de área de vegetação nativa e 8 ha de área de produção agrícola por técnicas agroflorestais. Os produtos agroflorestais atualmente são expostos na feira orgânica do Parque Shopping Maceió, demonstrando ser a comunidade mais direcionada a produção e comercialização agrícola. Concluiu-se que em relação às PANC, que  existe um bom nível de conhecimento e uso para alimentação e comercialização, no qual citaram diversas espécies e suas respectivas formas de preparo. Porém, em geral, a dificuldade de adquirir tais PANC ainda é um empecilho para o maior hábito de consumo, assim tornando uma pequena variedade de PANC presente na mesa dos consumidores que buscam a melhor qualidade alimentar e nutricional. 
Palavras-chaves: Desenvolvimento Sustentável, agricultura alternativa, desenvolvimento rural.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS
Foto do Usuário Flávia Maria De Mello Bliska 09-02-2021 12:50:35

O tema é relevante e atual. O artigo realmente é muito interessante, está bem redigido e os resultados bem discutidos. Sou engenheira agrônoma e minhas atividades profissionais me levaram a conhecer propriedades rurais no Brasil todo, literalmente de Norte a Sul e de Leste a Oeste. Com distintas características de tamanho, gestão ou segmento do agronegócio. Com relação às PANC, muitos ''novos consumidores'', mesmo na zona rural, tem receio de não identificá-las corretamente e eventualmente causar acidentes, desde mal estar a envenenamento. Também não é comum as pessoas ''comuns'' terem à disposição livros para identificação daquelas plantas. Portanto, pergunto (e sugiro acrescentar ao estudo): em termos de políticas públicas, que medidas efetivas poderão ajudar a difundir o conhecimento sobre as PANCs? Especialmente com relação à difusão da identificação de plantas, formas de consumo, métodos de preparo, etc. Cartilhas para distribuir à população seriam viáveis?

Foto do Usuário Raquel Maria Da Silva 09-02-2021 12:50:35

Boa tarde. A escolha por analisar dados disponíveis é importante para a academia. Porém o trabalho apresenta problemas de coerência e erros gramaticais. Os resultados poderiam ser mais explorado assim como os objetivos expostos.

Foto do Usuário Fabiana De Carvalho Dias Araújo 09-02-2021 12:50:35

DIAGNÓSTICO DO USO DAS PLANTAS ALIMENTÍCIAS Rever a formatação do gráfico 2. Verificar erros de português com relação a pontuação. Essas comunidades deveriam ser mais detalhadas. Nem toda a área de Gestão Ambiental consideram as seis dimensões e não está no mesmo nível da Agroecologia. Em conclusões, os autores não foram felizes em colocar no mesmo parágrafo a preocupação com o meio ambiente e também o nível de formação, pois a maioria dos pequenos agricultores, podem não ter o mesmo nível de formação, porém tem as mesmas preocupações. Vale o conhecimento das plantas alimentícias não convencionais nativas e a troca de conhecimentos com indígenas e quilombolas da região. Ficou a dúvida de quais PANC eles consomem? Rever formatação dos gráficos, pois os mesmos estão com fonte diferente do texto.