ARMAZENAMENTO EM TEMPERATURA AMBIENTE DE GENÓTIPOS PRECOCES DE MAÇÃ

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Genética

Acessos neste artigo: 4


Certificado de publicação:
Certificado de André Sarabia Zamarian

Certificado de participação:
Certificado de André Sarabia Zamarian

COMPARTILHE SEU TRABALHO

AUTORIA

Tracy Paola Maçaneiro , Letícia Elisiane Beluzzo , André Sarabia Zamarian , Iohann Metzger Bauchrowitz , Alison Fernando Nogueira , Silas Mian Alves , Clandio Medeiros Da Silva

ABSTRACT
A maçã (Malus doméstica Borkh) é uma das principais frutas consumidas pelos brasileiros. Seu período de armazenamento é variável, podendo depender de diversos fatores que afetam a sua qualidade. O objetivo desse trabalho foi estudar o comportamento pós-colheita de cinco genótipos de maçã desenvolvidas pelo programa de melhoramento do IDR-Paraná, e armazenadas em temperatura ambiente por dez dias. O experimento foi realizado em esquema de delineamento inteiramente casualizado (DIC), com cinco tratamentos (IAPAR 75 - Eva, IPR Julieta, seleção I, seleção II e seleção III, armazenadas em temperatura ambiente por dez dias, com cinco repetições. Avaliações físicas que foram realizadas nos frutos após a colheita e no décimo dia de armazenamento foram às seguintes: diâmetro (DM), massa (MF), firmeza (FR) e perda de massa fresca (PM), e as avaliações químicas foram as seguintes: pH (PH), sólidos solúveis (SS), acidez titúlavel (AT) e ratio (RT). Os dados foram submetidos à análise de componentes principais (ACP) e correlação de Person. As análises estatísticas foram efetuadas com o auxílio do programa R. No gráfico bidimensional da contribuição das características físico-químicas, os dois primeiros componentes de variância explicam 83,5%. houve a formação de três grupos, definidos pelo tempo de zero e dez dias. As características que mais contribuíram para a separação dos genótipos foram ratio, firmeza, diâmetro e perda de massa fresca. Foi observado correlação negativa e alta entre FR com PMF e PH, e alta e positiva entre DM X MF; SS e RT, PH teve correlação alta também com PMF, e SS X RT. O armazenamento em temperatura ambiente por dez dias afetou as qualidades físico-químicas dos frutos, em quatro, dos cinco tratamentos estudados, apenas o genótipo IPR Julieta não sofreu influência para as características quando armazenadas por dez dias.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS
Foto do Usuário André Sarabia Zamarian 09-02-2021 12:50:35

O artigo apresentado no CONVIBRA apresentou objetividade na área de genética vegetal, e foi bem esclarecido ao tema apontado.

Foto do Usuário José Eliseu Dos Santos Filho 09-02-2021 12:50:35

Estudo interessante, muito a agregar a área, deve-se ser revisado o texto para algumas correções de concordanças nominais, mas o conteúdo ta top !