OS IMPACTOS DAS TECNOLOGIAS SOCIAIS DE CONVIVÊNCIA COM O SEMIÁRIDO NA AGRICULTURA FAMILIAR

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Desenvolvimento rural

Acessos neste artigo: 3


Certificado de participação:
Certificado de Melina da Silva de Souza

COMPARTILHE SEU TRABALHO

AUTORIA

Melina Da Silva De Souza , Anderson Da Silva Aguiar , Fernando Bezerra Lopes , Erialdo De Oliveira Feitosa

ABSTRACT
Durante anos, a indústria da seca se estabeleceu na região semiárida, uma política que beneficiava os latifundiários e deixava os sertanejos na miséria. Com a organização da sociedade civil o termo convivência com o semiárido apareceu conjuntamente com tecnologias adaptadas para a semiaridez. A Associação do Semiárido Brasileiro (ASA) iniciou o Programa Um Milhão de Cisternas (P1MC) e o Programa Uma Terra e Duas Águas (P1+2), levando tecnologias sociais, como as cisternas, que captam e armazenam a água da chuva, para consumo familiar e agropecuário. Diante do exposto, objetivou-se comparar parâmetros técnicos e sociais antes e após a chegada de tecnologias sociais na comunidade Lagoinha 1 – Itapipoca, Ceará. Trabalho realizado através da entrevista in loco com as famílias e posterior análise dos dados e formação de gráficos. Todas as vinte unidades familiares possuem cisternas de placas (16.000 litros), e nas cisternas de produção (52.000 litros), 6 famílias têm cisternas do tipo enxurrada e 14 do tipo calçadão. Com a chegada das tecnologias, aconteceu mudanças em relação a produção, segurança alimentar, segurança hídrica e geração de emprego e renda na comunidade. Expondo a necessidade da adoção e propagação de tecnologias eficientes para a região, melhorando a vida daqueles que historicamente viveram a margem das políticas públicas.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS
Foto do Usuário Junior Miranda Scheuer 09-02-2021 12:50:35

O artigo apresenta um tema extremamente relevante para as regiões com déficit hídrico. Tomo a liberdade de sublinhar alguns pontos, que não diminuem a importância do trabalho: revisar algumas afirmações truncadas, por exemplo, ''Sendo um dos mais chuvosos do mundo, apresenta pluviometria média de 750 mm/ano'', ''116.065; 66.909; e 49.156 habitantes e A população estimada em 2019 é de 129.358 pessoas (de quanto é a população?)''; quantas famílias foram entrevistadas (''há 20 famílias contempladas'', mas não explicita que todas participaram da pesquisa); na metodologia, o método correto é formulário, não questionário (conceitualmente diferentes); segurança alimentar é um conceito superado por segurança alimentar e nutricional; entre outras pequenas observações. Por fim, poder-se-ia relacionar os resultados e discussão com a temática do desenvolvimento rural.

Foto do Usuário Priscila Franco Binatto 09-02-2021 12:50:35

O trabalho é interessante e a temática relevante. Porém, o objetivo está mais próximo de identificar a percepção das famílias em relação aos parâmetros técnicos e sociais. Ao ler ''comparar parâmetros técnicos e sociais antes e após a chegada de tecnologias sociais'' tem-se a impressão de que os pesquisadores avaliaram esses parâmetros antes e depois da intervenção feita, o que não foi o caso. Na metodologia teria sido mais adequado dizer que os dados foram obtidos por meio de entrevista estruturada, ao invés de ''A aplicação do questionário foi feita de forma estruturada, e as famílias entrevistadas responderam verbalmente as perguntas contidas no questionário''.

Foto do Usuário érica Araújo Lopes 09-02-2021 12:50:35

As tecnologias sociais têm causado diversos topos de impacto positivos na agricultura familiar no seminário brasileiro, tema relevante. De acordo com análise estabelecida tem-se: 1- a pesquisa em questão apresenta-se embasada conceitualmente, considerando o esforço de organizações da sociedade civil em parceria com o Governo Federal (à época) na busca de melhoria da qualidade de vida de agricultores e agricultoras familiares através da implantação de tecnologias sociais de convivência com a vida no semiárido; 2- apresenta significativa melhoria na qualidade de vida das famílias principalmente no que se refere a água para consumo humano; 8- no que se refere a água para produção alguns elementos apresentados mostram algumas preocupações que podem servir de pistas para ajustes na política. quais sejam: água para a produção mesmo sendo 52 mil litros mostra-se insuficiente par o período de estiagem; os quintais produtivos, mesmo tendo importância significativa, quando da segurança alimentar, mostram-se insuficientes para impactar positivamente na renda familiar; 3- a assessoria técnica, elemento que funciona de acordo com a política pública de implantação das tecnologias sociais de convivência com semiárido, apenas durante a implantação das cisternas mostra-se insuficiente para apoiar o desenvolvimento produtivo das famílias, deixando uma lacuna importante de carência neste processo.