EFEITOS DA INSTABILIDADE PLUVIOMÉTRICA SOBRE A PRODUÇÃO DE LAVOURAS DE SEQUEIRO NOS MUNICÍPIOS DO SEMIÁRIDO CEARENSE: LIMOEIRO DO NORTE E MORADA NOVA

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Economia agrícola

Acessos neste artigo: 2


Certificado de Publicação:
Não disponível
Certificado de Participação:
Não disponível

COMPARTILHE SEU TRABALHO

AUTORIA

Melyssa Da Silva Moreira Pinheiro , Camila Nunes Bezerra

ABSTRACT
A maior parte do Semiárido do Brasil situa-se no Nordeste do País, onde o Ceará é o estado com a maior participação de municípios reconhecidos oficialmente como pertencentes ao ecossistema. As características climáticas o tornam suscetível ao fenômeno das secas e também à desertificação, que também tem a ação humana como indutora. Dentre os municípios do Ceará que estão inseridos no semiárido, destacam-se para este estudo Limoeiro do Norte e Morada Nova, localizados na Microrregião do Vale do Jaguaribe. A escolha desses municípios se justifica pelo fato de estarem incluídos nas áreas sujeitas à desertificação (ASD) do Ceará. A pesquisa objetiva mostrar a evolução da precipitação pluviométrica em Limoeiro do Norte e Morada Nova no período de 1974 a 2017, caracterizando os níveis de pluviometria de acordo com a sua intensidade, aferindo as instabilidades em cada um desses períodos e avaliar como se comportam lavouras alimentares de sequeiro (feijão, mandioca e milho) em cada um desses períodos. Utilizaram-se dados do IBGE e da FUNCEME e aferiram-se os coeficientes de variação (CV) para medir a instabilidade/estabilidade dos diferentes tipos de clima para os municípios selecionados no estudo. Utilizou-se também o CV como medida de instabilidade/estabilidade das produtividades da terra, áreas colhidas e preços médios das lavouras, avaliados dentro de cada um dos regimes pluviométricos identificados na pesquisa. Os resultados mostram que as pluviometrias anuais observadas se concentram nos meses de janeiro a junho de cada ano e confirmam instabilidades pluviométricas nos dois municípios selecionados para o estudo e períodos de estiagem com elevadas probabilidades de ocorrência. Conclui-se que as instabilidades climáticas se transmitem às instabilidades nas produções de feijão, mandioca e milho nos municípios.
Palavras-chave: Produção Agrícola Familiar; Produção de Alimentos; Secas; Desertificação.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS
Foto do Usuário Noel Barbosa Da Silva 09-02-2021 12:50:35

Proposta interessante, mas eu acharia interessante a conclusão do trabalho levar mais em consideração que outros fatores estão associados a produtividade das lavouras e estes podem, potencialmente, interferir nos resultados da colheita.

Foto do Usuário Melyssa Da Silva Moreira Pinheiro 09-02-2021 12:50:35

Trabalho excelente. Mostra bem a realidade do semiárido cearense no que diz respeito a instabilidade de chuvas.