Primeiro registro do percevejo Antiteuchus melanoleucus como potencial praga de cultivos pitayas

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Entomologia

Acessos neste artigo: 3


Certificado de Publicação:
Não disponível
Certificado de Participação:
Não disponível

COMPARTILHE SEU TRABALHO

AUTORIA

Alessandro Borini Lone , Marcelo Mendes De Haro , Juliana Olivia Nicolao

ABSTRACT
Objetivou-se esclarecer o agente causal dos danos causados em cultivos de pitaya de Santa Catarina, identificando a espécie e possíveis riscos da presença da mesma. Os insetos foram coletados em cultivos de pitaya nas regiões produtivas do litoral norte e sul catarinense. As coletas e observações foram realizadas durante a fase reprodutiva das plantas, nos botões florais e frutos em desenvolvimento, para posterior identificação dos insetos. Durante as amostragens foi identificada atacando pitaya em Santa Catarina pela primeira vez a espécie de percevejo Antiteuchus melanoleucus (Westwood, 1837) (Hemiptera: Pentatomidae). Seus indivíduos possuem corpo levemente giboso, coloração dorsal variando entre amarelo com manchas castanhas até negro com pequenas manchas amarelas. Podem ocorrer machos claros e fêmeas escuras. Pontuação pouco densa distribuída em agrupamentos de diferentes tamanhos, raramente formando linhas sinuosas transversais. Atacam principalmente nos frutos em maturação, devido ao seu hábito sugador,  os mesmos apresentam cicatrizes originárias das puncturas, inúmeras pontuações que se tornam enegrecidas, formando uma cicatriz espessa e diminuindo seu valor de mercado. Além disso, podem se alimentar de botões florais e brotações em geral.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS
Foto do Usuário Fernando Teruhiko Hata 09-02-2021 12:50:35

Parabéns pelo trabalho!! É muito importante a observação de primeiros relatos de insetos em culturas. No caso da pitaya, é uma cultura relativamente nova no Brasil. Tenho algumas sugestões: Na revisão bibliográfica poderia abordar mais sobre qual a importância do inseto em questão (Antiteuchus melanoleucus) em outras culturas. Quanto ao objetivo, talvez não tenha sido identificar o agente causal. Foi realizado introdução deste inseto (somente ele) em gaiolas separadas, para que seja realmente confirmada que a alimentação do inseto causa os sintomas nos frutos? Sugiro colocar como objetivo a realização de primeiro relato de Antiteuchus melanoleucus em pitaya no Brasil. Foi quantificado o número de insetos por fruto? Em quantas plantas o inseto estava presente na área? Caso sim, é um dado relevante para o resumo.

Foto do Usuário Thiago Dias Trindade 09-02-2021 12:50:35

A cultura da Pitaya carece de referencias sobre pragas e doenças. Prossiga nos experimentos.

Sinto que falta uma melhor apresentação dos resultados e discussão, como por exemplo, uma representação gráfica. Perguntas que ficam a serem respondidas: Qual foi a quantidade de insetos coletados? Em quais períodos do dia? Durante quanto tempo a coleta foi realizada?