Efeito da adubação verde intercalar ou produzida fora e aplicada na área de estudo, com homeopatia na produção de tomate salada e alfaces em cultivos

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Horticultura

Acessos neste artigo: 2


Certificado de participação:
Certificado de Edmilson José Ambrosano

Certificado de publicação:
Certificado de Edmilson José Ambrosano

COMPARTILHE SEU TRABALHO

AUTORIA

Gabriela Cristina Salgado , Fabricio Rossi , Guilherme Bovi Ambrosano , Edmilson José Ambrosano , Cesar Augusto Santana , Gláucia Maria Bovi Ambrosano , Takashi Muraoka , Ivani Pozar Otsuki , Paulo Cesar Ocheuze Trivelin

ABSTRACT
O presente trabalho teve por objetivo estudar o desempenho de um hibrido de tomate (Saladete DRW 3410) de porte indeterminado, em sistema de cultivo agroecológico em ambiente protegido, submetido a diferentes sistemas de adubação verde, sendo ele intercalar ou produzida fora e aplicada na área de estudo na presença e ausência da aplicação de preparado homeopático (phosphorus 100 CH). Além disso, este trabalho também teve como objetivo estudar o efeito residual desta adubação verde em cultivo intercalar ao tomate no cultivo das alfaces crespas e americanas. Foi utilizado delineamento de blocos ao acaso, em esquema fatorial 4x2 sendo os tratamentos: 3 adubos verdes, feijão-mungo (Vigna radiata L.), feijão-de-porco (Canavalia ensiformes (L) e Crotalária-júncea (Crotalaria juncea L.) e uma testemunha e 2 aplicações homeopáticas, com e sem phosphorus CH100, totalizando 8 tratamentos com seis repetições. Os adubos verdes feijão-mungo e feijão-de-porco foram conduzidos em consórcio com o tomateiro por dois anos consecutivos. Após o cultivo do tomate foram transplantadas para os canteiros experimentais dois cultivares de alface, Gloriosa e Pira-verde) de verão por dois anos consecutivos, a fim de se estudar o efeito residual da adubação verde aplicada ao tomate. Em função da massa fresca e da altura das cabeças das alfaces conclui-se que os adubos verdes, crotalária-júncea e feijão-de-porco, mostraram-se superiores aos tratamentos com feijão-mungo e testemunha e que o efeito da crotalátia-júncea adicionada como palha no tomate teve efeito positivo, aumentando a produtividade e a transferência de nitrogênio. Houve destaque para os adubos verdes feijão-de-porco e crotalária-júncea na transferência do nitrogênio sendo importante para a cultivar Gloriosa e Pira-Verde respectivamente. Houve uma melhoria do solo com os tratamentos adubos verdes e homeopatia onde alguns atributos do solo melhoraram positivamente como o aumento da matéria orgânica do solo. Houve efeito positivo da crotalária-júncea no peso de frutos comerciais e do menor peso de frutos danificados no tratamento com feijão-de-porco intercalar, indicando ser essas espécies benéficas ao sistema de produção como um todo. A adubação verde pode ser a melhor alternativa para pequenos produtores, pois como pudemos observar, essa prática apresenta efeito residual, transfere nitrogênio, o que pode diminuir o custo de produção. Além disso, os adubos verdes mantêm o solo mais protegido, evitando infestação de plantas daninhas e perda de solo através de erosão. Deve-se, no entanto, escolher a melhor planta como adubo verde e o espaçamento correto para cultivar em consórcio com a hortaliça de interesse, a fim de não provocar competição entre as plantas.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS
Foto do Usuário E Dna Antônia Da Silva Brito 09-02-2021 12:50:35

Muito bom o trabalho, contém muitas contribuições para a área de produtos agroecológicos.

Foto do Usuário Rafael Ricardo Cantú 09-02-2021 12:50:35

É difícil entender o efeito da homeopatia, onde ela atua no ciclo do N? Quais os mecanismos realmente testáveis e com publicações contundentes sobre esse efeito da homeopatia?

Foto do Usuário Camila Nunes Bezerra 09-02-2021 12:50:35

Acho que este trabalho agrega muito. Muito interessante.