DINÂMICA HORIZONTAL DO FÓSFORO E POTÁSSIO NO SOLO EM FUNÇÃO DA ADUBAÇÃO MINERAL E ORGANOMINERAL

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Ciências do solo

Acessos neste artigo: 2


Certificado de publicação:
Certificado de Jeniffer Bonfim de Oliveira
Certificado de Felipe Quartucci
Certificado de Jeniffer Bonfim de Oliveira

COMPARTILHE SEU TRABALHO

AUTORIA

Felipe Quartucci , Jeniffer Bonfim De Oliveira

ABSTRACT
A fertilidade do solo pode ser definida como a capacidade do solo em ceder elementos essenciais as plantas. Dentre esses elementos, destacam-se o fósforo, pela sua alta capacidade de fixação em solos brasileiros, e o potássio, por ser um elemento facilmente perdido por lixiviação. Portanto, o objetivo desse trabalho foi avaliar a dinâmica horizontal dos nutrientes no solo quando utilizada adubação mineral e organomineral. O experimento foi realizado no município de Itapetininga/SP, em tubos de PVC de 10 cm de diâmetro por 50 cm de altura, em delineamento inteiramente casualizado, com seis repetições. Os tubos foram preenchidos com solo do local e foram aplicados dois tipos de fertilizantes: mineral e organomineral. Os tubos foram irrigados 3 vezes por semana. Aos 15 e 30 dias após a aplicação do fertilizante, três repetições de cada tratamento foram selecionadas ao acaso, e determinados os teores de K e P, nas profundidades de 0-20 cm e 20-40 cm. Não houve diferença estatística nos teores de P entre o fertilizante mineral e organomineral, independentemente da época de avaliação e profundidade. Os teores de P em superfície foram superiores aos de subsuperfície. No entanto, os teores de P em subsuperfície foram superiores aos teores iniciais, indicando movimentação no perfil do solo. Para o potássio, os teores no solo quando utilizado fertilizante organomineral foram superiores ao mineral, indicando menor lixiviação quando utilizado fertilizante organomineral. Conclui-se que a aplicação de P localizada pode aumentar os teores na camada de 20-40 cm, independentemente do fertilizante utilizado. A utilização de fertilizante organomineral é uma boa estratégia para minimizar lixiviação do K.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS
Foto do Usuário Aline Aparecida Dos Santos 09-02-2021 12:50:35

A trabalho mostra-se bem feito e com contribuição para a área de ciência do solo.

Foto do Usuário Denice De Oliveira Almeida 09-02-2021 12:50:35

Trabalho bom e interessante. Entretanto, sugiro que em próximos trabalhos escolha-se um teste de médias diferente. No teste de Duncan a diferença mínima significativa varia para comparação dos tratamentos, ou seja, não é o mesmo critério para todas as comparações. Como confiar numa avaliação que não usa o mesmo critério para todos?

Foto do Usuário Jorge João Delfim 09-02-2021 12:50:35

O trabalho esta bem apresentado. Mas o titulo do trabalho que apacere na planta forma de revisão não corresponde com o artigo em PDF. Qual é o tipo de solo que foi utilizados neste trabalho? A discussão com relação a variavel K poderia ser um pouco mas consistente, principalmente com relação a tratamento de fertilizante organomineral, tendo em conta o teor de argila e area do solo utilizado e o papel que a meteria orgânica desenmpenha na estrutura, CTC, e na disponibildade de nutrientes no solo. Apesar de não haver diferenças significativas com relação a variável P, porque houve esté aumento do teor de P em subsuperficie em comparação com os teor incial de P. ? Porque é que o teor de K foi superior no tratamento que recebeu fertilizante organomineral? Jorge Delfim

Foto do Usuário Alvaro Graeff 09-02-2021 12:50:35

Trabalho clássico em pesquisa agropecuária: dose x resposta. O trabalho esta com algumas dificuldades não respondidas. Verifique.

Foto do Usuário Bruno Nicchio 09-02-2021 12:50:35

Trabalho interessante, porém, o título não está de acordo.